Exclusão da Grécia de embargo às importações da UE é ‘improvável’

Para Chokhin, há grandes chances de que a Grécia “aprenda a reaplicar rótulos” Foto: EPA

Para Chokhin, há grandes chances de que a Grécia “aprenda a reaplicar rótulos” Foto: EPA

Presidente de sindicato russo teme que gregos sirvam de canal para exportação de produtos europeus proibidos. No entanto, acredita-se que Moscou poderia ajudar gregos caso Atenas aceitasse participar de projeto do gasoduto Turkish Stream.

A exclusão da Grécia do embargo russo às importações de alimentos da União Europeia é impossível por causa do risco de o país virar um canal para exportação de produtos europeus proibidos, disse o presidente do Sindicato de Empresários e Industriários da Rússia, Aleksandr Chokhin, à agência Tass, durante uma feira de negócios em Iekaterinburgo.

“Acho que isso é impossível. Caso contrário, diversos itens [de outros países da Europa] serão enviados através da Grécia. Por exemplo, a Suíça aumentou suas exportações de maçã para a Rússia em 2.500%, e este é um país muito civilizado, um exemplo de decência. Acho que a mesma coisa pode acontecer na Grécia”, destacou.

Segundo Chokhin, há grandes chances de que a Grécia “aprenda a reaplicar rótulos”, como já ocorre com produtos na Bielorrússia.

O empresário anunciou, contudo, a possibilidade de pagamento avançado pelo trânsito de hidrocarbonetos como uma opção do apoio da Rússia à Grécia, caso o último adira à construção do gasoduto Turkish Stream. Até que isso ocorra, “a possibilidade de apoiar a Grécia é bastante abstrata”, disse Chokhin.

“Os líderes do FMI e o Secretário do Tesouro dos Estados Unidos já pediram à UE e ao Banco Central Europeu para aprovar a reestruturação da dívida grega, porque temem que o país acabe nos braços da Rússia. Embora ainda não exista qualquer proposta de nossa parte, os americanos sentem uma ameaça em potencial.”

 

Publicado originalmente pela agência de notícias Tass


Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.