Banco dos Brics pronto para iniciar atividades após ratificação pela China

Rússia foi o primeiro país a ratificar a criação da nova entidade financeira Foto: AP

Rússia foi o primeiro país a ratificar a criação da nova entidade financeira Foto: AP

País foi o último entre os membros do grupo a ratificar o acordo. Criação de banco é vista como um passo não apenas financeiro, como também político.

A China ratificou, nesta quarta-feira (1), a criação do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD) dos Brics. Todos os demais membros do grupo – Rússia, Brasil, Índia e África do Sul – já haviam ratificado o acordo.

“É um passo financeiro e político, naturalmente, até porque a China pretende diversificar tanto as suas relações econômicas, como a sua força política”, declarou Iakov Berger, do Instituto do Extremo Oriente, em entrevista à agência Sputnik. “A decisão atual da China é mais um passo no sentido da eliminação da hegemonia do Banco Mundial e FMI, onde quem domina são os EUA e a UE.”

A sessão inaugural do conselho executivo do NBD acontecerá em Moscou, na próxima terça-feira (7). O evento antecede a cúpula presidencial dos Brics, que será realizada nos dias 8 e 9 de julho, em Ufá.

A Rússia foi o primeiro país a ratificar a criação da nova entidade financeira. O organograma da instituição estará sujeito a rotação, como toda a estrutura dos Brics.

China na liderança

Para o especialista Aleksandr Salitski, do Instituto da Economia Mundial e Relações Internacionais da Academia das Ciências da Rússia, a China possui uma liderança legítima entre os Brics, por causa de suas atividades financeiras.

“A China já mostrou a todos algo bem interessante: ela confirma, de forma rápida e com dinheiro, todas as suas iniciativas”, diz Salitski.

 

Com material da agência de notícias Sputnik

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.