Encontro de ministros das Comunicações dos Brics deve acontecer em outubro

Segundo Nikifôrov, uma das prioridades do grupo deve ser o apoio a desenvolvedores nacionais  Foto: RIA Nóvosti

Segundo Nikifôrov, uma das prioridades do grupo deve ser o apoio a desenvolvedores nacionais Foto: RIA Nóvosti

Em visita ao Brasil, ministro russo reforçou proposta de cooperação com os membros na esfera da tecnologia da informação. Entre os pontos da agenda destacam-se a eliminação da ‘desigualdade digital’ e a desmonopolização no campo dos softwares.

O governo russo propôs aos parceiros do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) organizar a cooperação entre os cinco países no campo da tecnologia da informação, declarou o ministro das Comunicações russo, Nikolai Nikifôrov, durante visita ao Brasil, concluída na sexta-feira passada (17).

“O tema central das conversações na capital brasileira foi a preparação para a o estabelecimento de uma cooperação entre os Brics na área de tecnologias de informação”, disse o ministro russo, acrescentando que o homólogo brasileiro, Ricardo Berzoini, havia apoiado a ideia de realizar encontros regulares dos ministros das Comunicações dos Brics.

A proposta de encontros regulares entre os chefes da pasta já havia sido proposta pelos ministros da China e Índia. “Pretendo em breve visitar a África do Sul e creio que nosso colega sul-americano irá se manifestar em favor da iniciativa”,  acrescentou Nikifôrov.

O formato de trabalho do encontro de ministros das Comunicações dos Brics se submeterá à aprovação dos presidentes dos cinco países durante a próxima cúpula do grupo em Ufá, em julho deste ano.

Democratização tecnológica

 A expectativa é que a primeira reunião do Brics com foco em tecnologia de informação aconteça em outubro deste ano. “A agenda será bem extensa, envolvendo questões sobre a eliminação da ‘desigualdade digital’, desenvolvimento de tecnologias modernas, utilização do espectro de radiofrequências (...) e a chamada desmonopolização no campo dos softwares”, disse Nikifôrov.

Segundo o ministro, há necessidade de apoiar os desenvolvedores nacionais para que, em um prazo de 3 a 5 anos, eles possam criar softwares competitivos.

“Isso cria benefícios a todos: para o Estado, tendo em vista que para nós é uma questão de segurança nacional; para os negócios, pois surge um mercado de produtos competitivos; e para os consumidores, que terão mais oportunidades de escolha”, concluiu. 

 

Publicado originalmente pela agência de notícias Tass

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.