Criação de Banco de Desenvolvimento do Brics será concluída até julho

Aperto de mão entre líderes do Brics durante cúpula no Brasil, em julho de 2014 Foto: TASS

Aperto de mão entre líderes do Brics durante cúpula no Brasil, em julho de 2014 Foto: TASS

Vice-presidente da Câmara de Comércio e Indústria russa confirmou ratificação do acordo pela Rússia. Documento aguarda agora aprovação dos outros países do grupo.

Nesta quarta-feira (15), o vice-presidente da Câmara de Comércio e Indústria da Rússia, Dmítri Kurotchkin, declarou em uma coletiva de imprensa que a Rússia já cumpriu a sua parte no trabalho referente à criação do Banco de Desenvolvimento do grupo Brics.

“Antes de o banco começar a funcionar, todos os países-membros devem ratificar o acordo. No que diz respeito à Rússia, a Duma de Estado (câmara dos deputados na Rússia) ratificou o acordo referente à criação do novo Banco de Desenvolvimento do Brics em 20 de fevereiro e a respectiva lei sobre a ratificação desse acordo foi assinada pelo presidente da Rússia em 9 de março”, disse Kurotchkin. “Em princípio, já concluímos toda a nossa parte do trabalho.”

Brics em números

O Brics é uma associação informal entre 5 países emergentes: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

A população total desses países é de 2,83 bilhões de pessoas ou 42% da população mundial.

Juntos, os membros do Brics ocupam 26% do território mundial.

A soma do PIB dos cinco países chega a  US$ 15,435 trilhões ou 14,6% do PIB mundial.

Segundo Kurotchkin, a Índia também já aprovou o acordo referente à criação do banco, e a previsão é que todo o processo de constituição do novo instituto seja concluído até a cúpula presidencial em Ufá, em julho.

“Levando em consideração os processos de ratificação em curso nos diferentes países, o processo de constituição do banco será concluído até o meio deste ano, ou seja, justamente até julho, quando será realizada a próxima cúpula do Brics”, acrescentou.

O acordo referente à criação do banco foi assinado em junho de 2014, na cidade brasileira de Fortaleza. Com capital declarado de 100 bilhões de dólares, a nova instituição multilateral foi concebida para financiar projetos de infraestrutura nos Estados do Brics e outros países emergentes.

 

Publicado originalmente pela agência de notícias RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.