Qual é a saída para a crise?

Apoio adicional às pequenas e médias empresas foi incluído no plano anticrise adotado pelo governo Foto: Reuters

Apoio adicional às pequenas e médias empresas foi incluído no plano anticrise adotado pelo governo Foto: Reuters

Economistas e políticos do país apontam medidas para revigorar economia abatida pela queda dos preços do petróleo e sanções do Ocidente. Redução da participação do Estado na economia e estímulo a empresas são consenso entre eles.

Ievguêni Iássin, ex-ministro da Economia da Rússia (1994-1997), diretor científico da Escola Superior de Economia

“Entre 2003 e 2008, a Rússia tinha uma fonte para o crescimento da economia interna – o aumento dos preços do petróleo. Vários economistas afirmam que o aumento dos preços do petróleo até US$ 100 por barril ajudaria o país a sair da crise econômica. Mas as autoridades russas não poderão repetir o sucesso anterior. A Rússia precisa do um aumento constante dos preços do petróleo. O preço estável, mesmo alto, não permitirá desenvolver a economia.

Foto: divulgação

O governo tem que fazer uma escolha: tentar sair da crise aumentando os preços do petróleo ou desenvolvendo a economia de mercado. Para isso, será preciso criar novas instituições e princípios: concorrência, oportunidades de negócios, Estado de Direito e outros atributos de um país democrático. Se a Rússia conseguir reagrupar, será possível alcançar o ritmo de desenvolvimento comparável com o da Europa Ocidental e do Japão. Essas mudanças não são determinadas pelas reformas econômicas, mas jurídicas e políticas. De um modo geral, estamos falando de uma completa modernização da sociedade, uma reestruturação mental dos próprios russos.”

Milhail Prôkhorov, empresário e político 

Foto: Reuters

“O futuro crescimento econômico da Rússia pode se basear em mudanças na política agrária. Terra é o maior elemento da riqueza nacional não explorado. É preciso abrir o acesso à terra, introduzi-la à economia. É necessário reforçar os direitos da propriedade, excluir qualquer possibilidade de retirada de terras sem consentimento dos proprietários. O aumento acentuado da oferta de terras permitirá mobilizar trilhões de rublos, os cidadãos começarão a investir em terra. Hoje, não precisamos dos grandes projetos de infraestrutura. Para garantir crescimento econômico, é preciso investir em projetos de pequeno e médio porte.” 

Vladislav Inozemtsev, economista e fundador da organização sem fins lucrativos “Centro de Estudos da Sociedade Pós-Industrial”

“A venda de 700 mil hectares de terras aumentaria o orçamento em 3,2 a 3,5 trilhões de rublos [cerca de US$ 46 a 50 bilhões ou quase 4% do PIB do país]. A entrada desse capital no mercado ajudaria a limitar a pressão sobre a moeda. No futuro, esse dinheiro poderia ser usado para construir estradas e infraestrutura nos territórios vendidos. A construção de infraestrutura nas terras privatizadas poderá acrescentar 1,2% a 1,4% ao PIB do país e atrair até US$ 3,4 bilhões para o orçamento federal.”

Dmítri Medvedev, primeiro-ministro da Rússia 

Foto: kremlin.ru

Segundo o premiê russo, o desenvolvimento de empresas é uma das principais medidas que devem ajudar a sair da crise. “A redução da presença do Estado na economia é a melhor medida para sair da crise, porque oferece mais liberdade às empresas”, disse Medvedev, durante a reunião do Conselho de Ministros, em 29 de janeiro.

O apoio adicional às pequenas e médias empresas foi incluído no plano anticrise adotado pelo governo no final de dezembro. Além disso, será introduzido um regime de isenções fiscais de dois anos para empreendedores individuais. O governo ainda pretende injetar US$ 70 milhões para ajudar empresas de inovação.

 

Com materiais dos jornais Kommersant e RBC Daily

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.