País pode ter participação reduzida no mercado mundial de grãos

Em 2014, o país conseguiu coletar a segunda maior safra da sua história pós-soviética Foto:TASS

Em 2014, o país conseguiu coletar a segunda maior safra da sua história pós-soviética Foto:TASS

Devido ao aumento dos preços dos alimentos, a Rússia vai taxar as exportações de grãos. Assim, o governo tenta diminuir o preço do produto no mercado interno. No entanto, segundo a União Russa de Grãos, essa medida levará à redução da participação da Rússia no mercado mundial de grãos.

No final de 2014, o primeiro-ministro russo, Dmítri Medvedev, declarou que o governo vai impor um imposto sobre as exportações de grãos. Segundo ele, a taxa será de 15% do valor aduaneiro mais 7,5 euros. As razões principais para introdução dessa taxa são a desvalorização do rublo em relação ao dólar e ao euro e o aumento dos preços na Rússia. No entanto, de acordo com o presidente da União Russa de Grãos (URG), Arkádi Zlotchévski, o novo imposto levará principalmente à queda na exportação de grãos russos.

Mais cedo, o vice-primeiro-ministro da Rússia, Arkádi Dvorkôvitch, disse que o imposto será temporário. No entanto, apesar da ausência da proibição oficial sobre as exportações de grãos, segundo os dados da URG, cerca de três milhões de toneladas já estão “presos” na Rússia.

Em 2010, após uma seca recorde na Rússia, o governo impôs uma proibição total sobre as exportações de grãos. Como resultado, de acordo com Zlotchêvski, para retornar ao mercado mundial de grãos, a Rússia teve que oferecer um desconto de US$ 50 por tonelada. No entanto, segundo os analistas da IGC (International Grains Counsil), a produção de grãos no mundo está crescendo constantemente. Em 2015, será de 1,9 bilhões de toneladas (699 milhões de toneladas de trigo e 963 milhões de milho).

Na segunda-feira (12), o Departamento de Agricultura dos Estados Undos reduziu a previsão de exportações de trigo da Rússia em quase 10%, de 22 milhões até 20 milhões de toneladas. Ao mesmo tempo, a previsão de exportações da Ucrânia e da União Europeia cresceu 7% e ultrapassou 11 milhões de toneladas.

“As exportações da Rússia diminuirão por causa do imposto sobre a exportação, que entrará em vigora em de 1º de fevereiro. A previsão das exportações da UE e da Ucrânia aumentou, porque esses países poderão se beneficiar da redução da presença da Rússia no mercado internacional", declarou o reapresentante do Departamento americano.

”O colapso do rublo levou ao aumento significativo dos preços dos grãos, porque vários produtores russos importam sementes e produtos fitofarmacêuticos”, explica Zlotchêvski.

Volume

Hoje, cerca de 10% da terra arável está localizada na Rússia, que está entre os grandes exportadores de grãos.

Em 2014, o país conseguiu coletar a segunda maior safra da sua história pós-soviética. O volume de colheita ultrapassou 104 milhões de toneladas. De acordo com dados da URG, o consumo interno de grãos na Rússia é de cerca de 70 milhões de toneladas.

Os produtores de grãos esperavam que os altos preços ajudariam a compensar os custos de preparação para a semeadura de primavera. No entanto, as medidas do governo preveem a diminuição dos preços no mercado local, o que dificultará a preparação.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.