Os efeitos do rublo em queda livre

Bancos terão de reduzir o volume de empréstimos e de depósitos, enquanto o número de pagamentos em atraso aumentará Foto: RIA Nóvosti

Bancos terão de reduzir o volume de empréstimos e de depósitos, enquanto o número de pagamentos em atraso aumentará Foto: RIA Nóvosti

De acordo com especialistas, é quase impossível prever os efeitos a longo prazo da despencada da moeda nacional russa.

A vertiginosa queda da moeda russa em relação ao euro e ao dólar americano traz vários efeitos para a economia russa.

"As principais consequências do enfraquecimento acentuado do rublo são extremamente negativas para os cidadãos russos e para o país em geral", diz o professor da Academia Russa de Economia Nacional e Administração Pública da Rússia Vassíli Iakímkin.

Segundo ele, os bancos terão de reduzir o volume de empréstimos e de depósitos, enquanto o número de pagamentos em atraso aumentará.

De acordo com o analista da holding de investimentos Finam Timur Nigmatúllin, a desvalorização excessiva do rublo envolve o risco da perda de confiança dos agentes do mercado no sistema financeiro russo.

“Agora, os riscos cambiais, as taxas de juros e os riscos de descumprimento dos orçamentos regionais e federal crescem muito rapidamente”, diz Nigmatúllin.

Primeira reação

Os bancos foram os primeiros a reagir ao colapso do rublo. Vários deles, estatais e privados, já congelaram a concessão de empréstimos no território da Rússia. De acordo com fontes da Gazeta Russa no Raiffeisenbank, o banco temporariamente parou de emitir créditos na Rússia.

"Apesar da alta volatilidade nos mercados financeiros e do aumento extraordinário da taxa de juros pelo Banco Central da Rússia até 17%, o Sberbank, continua a emitir créditos aos clientes”, declarou o porta-voz do Sberbank, o maior banco estatal russo.

Outras consequências

De acordo com o jornal “Kommersant”, a maioria das concessionárias de carros pararam as vendas de automóveis no país.

Já segundo pesquisa realizada pela IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo), durante os últimos 20 dias, os preços das passagens para voos internacionais aumentaram 36%.

Segundo o analista principal da empresa de investimentos UFS IC, Aleksêi Kozlov, o enfraquecimento do rublo levou ao crescimento da inflação.

“O país depende não apenas das exportações, mas também das importações, o que provoca o aumento dos preços”, diz Kozlov.

Segundo ele, o aumento do custo dos empréstimos limita o desenvolvimento adequado do setor real da economia, desacelera o crescimento e leva à recessão.

"A desaceleração da economia, os riscos geopolíticos, a inflação e a instabilidade da moeda nacional levam à saída de capital”, diz Kozlov.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.