Venda de carros de luxo dispara em antecipação à crise

Desvalorização do rublo é uma das razões para o aumento da demanda Foto: AP

Desvalorização do rublo é uma das razões para o aumento da demanda Foto: AP

Em novembro passado, as vendas de automóveis na Rússia quase atingiram o nível do ano anterior. Crescimento foi verificado sobretudo em carros de luxo: faturamento da Porsche aumentou em 55% na Rússia, e o da Lexus chegou a 63%.

De acordo com um estudo da Associação Empresarial Europeia, em novembro de 2014 os russos compraram apenas 1% menos carros do que no mesmo período do ano anterior. Entre os campeões de venda, o destaque ficou com as marcas de luxo, sobretudo Porsche (que apresentou aumento de 55% nas vendas) e Lexus (63%).

Também aumentaram as vendas da Kia (19%), da Renault (8%), da Toyota (32%) e da Mitsubishi (11%). Contrariando a tendência positiva, a AvtoVaz, líder da indústria nacional de automóvel, teve queda de 17% nas vendas. Foi a primeira vez que nos últimos meses que o Lada Granta deixou de ser o carro mais vendido na Rússia para ceder o lugar ao Kia New Rio.

A desvalorização do rublo é apontada por especialistas como razão para o aumento da procura por carros. “Nas últimas semanas houve uma demanda sem precedentes nos stands de automóveis, que foi potencializada pelo programa de incentivos do governo. Além disso, os consumidores saíram às compras antes do aumento dos preços previsto após o Ano Novo”, diz o presidente do Comitê de Fabricantes de Automóveis (AEB, na sigla em inglês), Jörg Schreiber.

O diretor de gestão da empresa de leasing UFS, Stanislav Skatkin, concorda que a queda da moeda levou a um aumento na demanda. “Em vez de guardarem suas poupanças, que depreciam mais a cada dia que passa, os russos tentam investir o dinheiro na aquisição de carros”, aponta.

Bielorrússia na pista

Outra ferramenta para apoiar a indústria nacional é o aumento da demanda por parte de cidadãos da Bielorrússia. “As poupanças dos bielorrussos são geralmente feitas em divisa estrangeira. Eles entendem que é mais rentável vir à Rússia e, aproveitando as taxas de câmbio atuais, trocar dólares por rublos e comprar carros. Mesmo agora já é perceptível a diferença nos preços dos automóveis novos nas concessionários dos dois países”, diz Stanislav Skatkin. Segundo ele, os preços na Bielorrússia estão entre 30 a 50% mais elevados do que na Rússia.

“Esse fenômeno reflete a preocupação das pessoas em relação às suas economias”, sugere o economista Konstantin Korischenko, ao falar sobre o receio das pessoas em relação ao aumento da inflação. “Elas tentam gastar os seus rublos enquanto não desvalorizaram por completo. A  desvalorização do rublo em relação às principais moedas cria a ideia de inflação futura.”

Uma contribuição significativa para o crescimento das vendas foi dada pelo programa de incentivo do governo que oferece aos vendedores de veículos usados um desconto na compra de um veículo novo. De acordo com o Ministério da Indústria, foram vendidos até 130 mil carros no âmbito do programa.

Segundo Schreiber, a previsão para dezembro é “igualmente otimista, o que aumenta as chances de um  fechamento positivo para um ano tão difícil para o mercado automóvel russo”.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.