Pútin avança com liberalização da economia russa

Pútin propôs congelar e manter inalterado durante quatro anos o atual sistema fiscal da Rússia Foto: Konstantin Zavrájin/RG

Pútin propôs congelar e manter inalterado durante quatro anos o atual sistema fiscal da Rússia Foto: Konstantin Zavrájin/RG

O presidente russo prometeu congelar o sistema fiscal da Rússia por quatro anos e realizar uma anistia a empresas nos paraísos fiscais desde que as quantias regressem para a Rússia.

Na última quinta-feira (4), o presidente russo, Vladímir Pútin, realizou seu discurso anual na Assembleia Federal da Rússia. Entre vários assuntos, Pútin anunciou um ambicioso programa de liberalização da economia russa.

Segundo o presidente, em 2018, o nível de investimentos na economia nacional alcançará 25% do Produto Interno Bruto do país.

“O bloco econômico do discurso anual de Pútin tem muitos aspetos positivos: luta contra offshores, ajuda aos pequenos empresários, transparência de inspeções, isenções fiscais”, diz o diretor da agência analítica Alte et Certe, Andrêi Iepifántsev.

Segundo ele, quando a Rússia não tem ligações com os mercados de capitais globais, é preciso buscar investimentos.

“Pútin envia um sinal positivo aos empresários”, diz.

Retorno do capital

O presidente prometeu uma anistia a empresas em paraísos fiscais (offshore) desde que as quantias regressem para a Rússia. Pútin declarou que não será preciso explicar as fontes do dinheiro, os métodos de obtenção de capital e pagar impostos adicionais.

Segundo o analista principal da empresa de investimentos UFS IC, Iliá Balákirev, o presidente russo começou a real liberalização da economia russa porque é a única alternativa ao isolamento total do país.

“Pútin afirma que é preciso realizar uma variante de anistia de capital mais radical que prevê isenção de todos os tipos de tributação ou perseguição”, diz Balákirev.

“O retorno do capital dos paraísos fiscais para a Rússia ajudará muito a intensificar o crescimento da economia russa”, diz Anton Soroko, analista da holding de investimentos FINAM.

No entanto, segundo Balákirev, no sentido global, isso não é suficiente para realizar a luta contra offshores.

“As empresas registram contas em jurisdições estrangeiras não só para fugir de impostos, mas também para poder proteger os seus interesses nos tribunais internacionais", diz Balákirev.

Segundo ele, é preciso modernizar o direito e o sistema judicial russos para atrair essas empresas.

Sistema fiscal

Pútin propôs congelar e manter inalterado durante quatro anos o atual sistema fiscal da Rússia, para que os empresários não temam surpresas desagradáveis por parte do Estado. De acordo com o presidente russo, será impossível introduzir novos impostos durante os próximos quatro anos.

"A redução do cargo administrativo poderia facilitar as condições para o desenvolvimento das pequenas empresas”, diz Balákirev.

Segundo Soroko, essa decisão ajudará a aumentar a previsibilidade da economia russa.

“O problema é que consumidores não querem investir em projetos de longo prazo, porque não podem prever o que vai acontecer no futuro", diz.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.