Tribunal ucraniano aprova nacionalização de oleoduto russo em seu território

Após o início da crise na Ucânia, a empresa russa começou a reduzir o volume de diesel fornecido Foto: Reuters

Após o início da crise na Ucânia, a empresa russa começou a reduzir o volume de diesel fornecido Foto: Reuters

Com extensão total de mais de 1.400 km, eles conectam a Rússia com a Hungria e eram utilizados pela Transneft para o fornecimento de diesel.

Um tribunal ucraniano decidiu nacionalizar os oleodutos da petrolífera russa Transneft que ficam no território do país. Com extensão total de mais de 1.400 km, eles conectam a Rússia com a Hungria e eram utilizados pela Transneft para o fornecimento de diesel.

"É uma disputa antiga entre os dois países.  A Ucrânia e a Rússia têm diferentes pontos de vista sobre os oleodutos construídos na época da União Soviética", diz o analista principal da Finam Managment, Dmítri Baranov.

De acordo com a Promotoria Geral da Ucrânia, a seção terrestre do oleoduto foi ilegalmente registrada como propriedade de uma subsidiária da petrolífera russa Transneft. Em março de 2011, o Tribunal de região de Rivne decidiu que o oleoduto pertencia à Ucrânia. Mas em seguida a decisão foi contestada com sucesso. Como resultado, a Transneft foi capaz de recuperar o controle sobre o oleoduto.

No entanto, após o início da crise na Ucânia, a empresa russa começou a reduzir o volume de diesel fornecido. De acordo com a Transneft, o volume destinado à Hungria através de território ucraniano foi reduzido em 50%, enquanto a Ucrânia quase parou de receber diesel russo.

Os representantes da Transneft declararam que a a decisão do tribunal ucraniano é ilegal. De acordo com as informações da empresa de investimento Finam, a medida não afetou o valor das ações da Transneft. 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.