Banco Central da Rússia confirma intervenção para impulsionar o rublo

A moeda russa está sendo negociada a mínimos históricos em relação ao dólar americano e ao euro Foto: Alamy/Legion Media

A moeda russa está sendo negociada a mínimos históricos em relação ao dólar americano e ao euro Foto: Alamy/Legion Media

O Banco Central da Rússia declarou nesta quarta-feira (3) que injetou US$ 700 milhões para proteger o rublo dois dias antes, em meio a mais acentuada queda da moeda em dezesseis anos. Informação contraria suposições de que instituição não tomaria medidas urgentes para segurar o valor da moeda.

A recente iniciativa é a primeira intervenção do Banco Central no mercado de câmbio desde que a instituição resolveu mudar para o regime de flutuação livre do rublo em 10 de novembro.

A moeda russa está sendo negociada a mínimos históricos em relação ao dólar americano e ao euro. O rublo caiu 40% em relação ao dólar desde janeiro – e 20% apenas ao longo do último mês.

A intervenção do Banco Central na segunda-feira à tarde promoveu o fortalecimento do rublo, depois de a moeda registrar sua maior queda em um único dia desde a crise de 1998.

O Banco Central mudou para o regime de flutuação livre da moeda no mês passado, depois de repassar cerca de 70 bilhões de dólares de divisas estrangeiras da Rússia para retardar o declínio do rublo neste ano.

As reservas russas estão sendo cada vez visadas por empresas estatais e pelo governo à medida que as previsões de recessão e intensificação das dificuldades econômicas no próximo ano tornam-se mais frequentes.

O declínio do rublo tem sido impulsionado pelo preço do petróleo, que despencou 40% desde a alta de junho, e pelas sanções do Ocidente.

Apesar das medidas recém-tomadas, a moeda russa perdeu força na manhã desta quarta-feira e caiu quase um por cento. De acordo com dados da Bolsa de Moscou, o dólar foi negociado a 54,9 rublos, e o euro, a 67,7 rublos.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow Times 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.