Perdas com sanções se somam à queda do preço do petróleo

A principal perda indireta é a queda dos preços do petróleo Foto: AFP/East News

A principal perda indireta é a queda dos preços do petróleo Foto: AFP/East News

O orçamento russo é formado com base no preço de US$ 100 por barril de petróleo cru tipo Brent. Devido à queda dos preços até quase US$ 70 por barril, o ministro das Finanças da Rússia, Anton Siluanov, declarou que é necessário reduzir os gastos do orçamento.

O ministro das Finanças da Rússia, Anton Siluanov, declarou que o país perdeu US$ 40 bilhões por causa das recentes sanções. Além disso, a Rússia perde cerca de US$ 90 bilhões a US$ 100 bilhões por ano devido à queda do preços do petróleo.

Mas de acordo com o chefe da Cátedra de Mercados e Engenharia Financeira da Academia Russa de Economia Nacional e Administração Pública, Konstantin Koríschenko, é muito difícil calcular as perdas da economia por causa das sanções econômicas.

“Podemos calcular a diferença entre as saídas de capital em 2013 e em 2014. Neste caso, US$ 40 bilhões seria um montante muito otimista, porque, em 2013, a saída de capitais não ultrapassou US$ 67 bilhões, enquanto, em 2014, a Rússia já perdeu US$ 120 bilhões”, diz Koríschenko. 

No entanto, segundo ele, é difícil separar o efeito das sanções da adoção do regime do câmbio flutuante da moeda nacional russa.

Segundo o analista chefe da empresa de investimentos Russ-Invest, Dmítri Bedenkov, é quase impossível calcular o montante exato.

“É difícil estimar a avaliação financeira das perdas indiretas que ocorreram devido à desaceleração ou ao congelamento dos projetos conjuntos, que não são diretamente relacionados com as sanções", explica Bedenkov.

Petróleo

A principal perda indireta é a queda dos preços do petróleo. O orçamento russo é formado com base no preço de US$ 100 por barril de petróleo cru tipo Brent. Devido à queda dos preços até quase US$ 70 por barril, o ministro das Finanças da Rússia, Anton Siluanov, declarou que é necessário reduzir os gastos do orçamento.

O ministério prevê que, em 2015, as receitas orçamentárias diminuirão US$ 10,7 bilhões, caso o rublo e os preços do petróleo não caiam. De acordo com Siluanov, o orçamento poderá perder o mesmo montante por causa do risco de desaceleração do crescimento econômico e da redução das importações.

De acordo com o analista principal da empresa de investimentos UFS IC, Aleksêi Kozlov, as sanções econômicas levaram à diminuição de interesse dos investidores estrangeiros e ao aumento dos riscos de investimento em projetos russos.

“Nessas condições, a Rússia tem de fazer tudo para estabilizar o rublo, controlar a inflação e implementar um programa de substituição de importações”, diz Kozlov.

Segundo o analista da Investcafe, Timur Nigmatúllin, “a necessidade de refinanciar a dívida de uma série de empresas estatais afetadas pelas sanções e a substituição de investidores estrangeiros, que agora não podem participar de uma série de projetos, levam à redução dos fundos soberanos".

Neste contexto, as receitas das empresas russas caíram drasticamente. De acordo com dados do Rosstat (Serviço Federal de Estatística do Estado), o lucro das empresas russas antes de juros, impostos, depreciação e a amortização (EBITDA, na sigla em inglês) em setembro de 2014 caiu 83%.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.