Mercado discute valor da Rosneft, que terá parte vendida

Na primavera passada, o governo russo declarou que a privatização de parte da Rosneft ocorrerá no início de 2015 Foto: Reuters

Na primavera passada, o governo russo declarou que a privatização de parte da Rosneft ocorrerá no início de 2015 Foto: Reuters

Ainda em junho, o ministro das Finanças da Rússia, Anton Siluanov, declarou que, com a venda de 19,5% da Rosneft, o governo planeja obter US$ 12,6 bilhões. Especialistas avaliam o preço das ações e quem são os possíveis compradores.

O presidente da maior petrolífera russa, a Rosneft, Ígor Sêtchin, declarou recentemente que uma fatia de 19,5% da empresa provavelmente vai ser vendida. Uma ação, segundo ele, custará pelo menos US$ 8,12, enquanto todo o pacote custará US$ 16,8 bilhões.

Especialistas afirmam que o preço anunciado por Sêtchin corresponde ao da petrolífera em 2012, quando a britânica BP comprou ações da Rosneft. Segundo o analista principal da Uralsib Capital, Aleksêi Kôkin, naquela época, a empresa britânica comprou um pacote de quase 20% de ações por US$ 8 cada.

No entanto, segundo Kôkin, no final de 2012, a situação no mercado internacional era completamente diferente: o preço do petróleo era muito mais alto, não havia sanções contra a Rússia etc.

Além disso, a estrutura da transação era mais complexa, não apenas monetária. A BP prometeu vender à Rosneft 50% das ações da TNK-BP por US$ 17,1 bilhões e 12,84% das ações da empresa russa.

"Nas atuais circunstâncias, a China poderá se tornar o comprador desse pacote de ações, porque não apoia as sanções econômicas contra a Rússia e poderá lucrar com a compra no futuro", disse Kôkin.

O especialista da Raiffeisenbank Andrêi Polischuk concorda com Kôkin e diz que o comprador mais real é a China.

“As autoridades russas querem vender essas ações a um investidor estratégico, no entanto, apenas a China tem capacidade de pagar tanto dinheiro”, diz.

Ainda em junho, o ministro da Finanças da Rússia, Anton Siluanov, declarou que, com a venda de 19,5% da Rosneft, o governo planeja obter US$ 12,6 bilhões. Isso significa que o ministério estimou o preço de uma ação em cerca de US$ 6, explica o analista da UBS, Konstantin Tcherepanov.

“Talvez o ministro tenha citado o preço mínimo desse pacote de ações”, diz.

Próximo ano

Na primavera passada, o governo russo declarou que a privatização de parte da Rosneft ocorrerá no início de 2015. Em maio, o ministro da Finanças russo disse que devido à falta de receitas, o governo poderia vender este pacote ainda mais cedo. No início de outubro, no Fórum Rússia Calling, o presidente russo, Vladímir Pútin, declarou que o governo está estudando as possibilidades de vender os pacotes de ações das principais empresas energéticas controladas pelo Estado ainda em 2014.

Além disso, o governo russo não exclui a possibilidade de vender 3,1% das ações da petrolífera Transneft em 2016. 

“Agora podemos começar a privatização apenas da Rosneft”, disse Siluanov.

“É a única empresa pública que começou o processo de preparação. Temos pouco tempo, mas é perfeitamente possível vender parte da petrolífera ainda em 2014”, completou.

Agora, o Estado controla 69,5% da Rosneft. Após a venda, a participação estatal será reduzida a 50% mais uma ação.

 

Com materiais dos jornais Kommernsant e RBC Daily. 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.