Rússia salta 30 posições no ranking de facilidade de fazer negócios do BM

Ao contrário dos anos anteriores, BM avaliou dados não só de Moscou, mas também de São Petersburgo Foto: Lori / Legion Media

Ao contrário dos anos anteriores, BM avaliou dados não só de Moscou, mas também de São Petersburgo Foto: Lori / Legion Media

Agilidade no registro de negócios e no processo para recebimento de alvará de construção ajudou a elevar posição do país no ranking anual do Banco Mundial sobre melhor ambiente para negócios. Brasil subiu apenas três degraus, ocupando o 120º lugar.

A Rússia subiu 30 posições no ranking que mede a facilidade de se fazer negócios em 189 países produzido pelo Banco Mundial. O país alcançou a 62ª posição, permanecendo entre a Grécia e a Moldávia. No ano passado, a Rússia esteve na 92ª posição.

“Nunca antes subimos 30 posições de uma vez só. O que causou esse crescimento? As diretrizes da Iniciativa Nacional de Empresas contribuíram muito para isso”, aponta Andrêi Nikítin, diretor-geral da Agência de Iniciativas Estratégicas (ASI). “Vale ressaltar as medidas que facilitam o registro de negócios e propriedades, e o processo para recebimento de alvará de construção. Além disso, a elaboração de relatórios fiscais tornou-se menos demorada.”

As mudanças na metodologia do ranking, como a adição de novos indicadores e a simplificação das exigências para empresas recém-criadas, afetaram os resultados da Rússia, dizem os materiais do Banco Mundial.

O modelo de cálculo de classificação matemática da versão deste ano apresenta uma série de novos critérios em torno de três pontos:  disponibilidade de empréstimos, processo de falência e proteção de acionistas minoritários.

Além disso, a versão anterior do ranking avaliava a dinâmica dos indicadores russos tomando como parâmetro apenas Moscou. Os indicadores de São Petersburgo foram adicionados para a versão divulgada este ano.

Dado a dado

A Rússia ocupa o 156º lugar em termos de tempo e facilidade para obtenção de alvará de construção, e o 143º em conexão de redes elétricas Quando o assunto é disponibilidade de empréstimos, o país ficou no 61º lugar, e, em relação aos mecanismos de um processo de falência, está na 65ª posição.

No entanto, é relativamente fácil iniciar um negócio na Rússia: o país está em 34º lugar neste critério, sendo ainda mais fácil registrar o direito de propriedade (12º lugar). Também não é difícil fazer com que as obrigações contratuais dos parceiros de negócios sejam cumpridas (14º lugar). Além disso, a Rússia está em 49º lugar em termos de acessibilidade e clareza do mecanismo de pagamento de impostos.

Cingapura continua ocupando o primeiro lugar no ranking de facilidade de fazer negócios, seguido por Nova Zelândia, Hong Kong, Dinamarca e Coreia do Sul. Os EUA caíram três posições desde o ano passado e agora ocupam o 7º lugar. Entre os demais países do top 10 estão Finlândia e Austrália.

No ranking anual do Banco Mundial sobre melhor ambiente para negócios, o Brasil subiu apenas três degraus e alcançou a 120ª posição.

 

Publicado originalmente pela agência Tass

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.