Aeroportos de Moscou apostam em design ocidental

Aeroporto Internacional Domodêdovo  Foto: Lori / Legion Media

Aeroporto Internacional Domodêdovo Foto: Lori / Legion Media

O biodesign e as tecnologias energeticamente eficientes mudaram a aparência dos aeroportos de Moscou.

Atualmente, os melhores aeroportos do mundo mais se assemelham a centros de entretenimento: vegetação tropical, jardins de borboletas e salas de massagem tailandesa estão à disposição dos viajantes. Essa é uma estratégia de marketing direcionada para atrair e entreter passageiros em trânsito. Em breve, também em Moscou será possível passar 12 horas no aeroporto e não ficar entediado, pois três aeroportos da capital passaram por uma reconstrução em grande escala.

O recentemente inaugurado Terminal A do Aeroporto Internacional Vnúkovo é o maior da Rússia, com uma área total de 270 mil metros quadrados (o custo de sua construção foi de 39 bilhões de rublos, cerca de US$ 965 milhões). Em 2015, o novo terminal permitirá elevar a capacidade de fluxo de Vnúkovo para o nível de 18 milhões de passageiros por ano.

O autor da concepção do Terminal A foi a empresa alemã Obermayer Consult, que construiu e reconstruiu alguns aeroportos “hub” (centros de conexão de voos) na Alemanha, na China e na Grécia.

Ao longo de muitos anos, os aeroportos de Moscou continuam sendo os mais movimentados da Rússia. Desde 2010, o fluxo de passageiros através dos três aeroportos da capital está crescendo continuamente. Em 2013, cerca de 60 milhões de pessoas, ao todo, passaram por Cheremetievo e Domodêdovo. Enquanto 11,5 milhões  por Vnúkovo, o terceiro maior aeroporto.

Durante a criação do design do terminal, os autores repeliam a imagem de gota. No fim de contas, a galeria de embarque, em forma de gota, com 52 portões para embarque, tornou-se o principal detalhe arquitetônico do complexo.

Bem no centro da “gota”, ao redor da torre onde ficam os serviços de despachos, há um jardim tropical. E pelas paredes da própria torre a água escorre em cascatas para uma piscina que fica junto à sua base. Tudo isso pôde ser realizado graças a soluções tecnológicas: por exemplo, no telhado foi montada uma abertura sob a forma de um enorme "olho" constituído por cerca de 3.500 metros quadrados de vidro em forma de triângulos através dos quais, durante o dia, penetra a luz natural do sol.

Eles são escorados por um subsistema especial capaz de suportar uma carga de neve de até 250 quilogramas. Foi sobre ele que foram instalados vidros tecnológicos resistentes que deixam passar os raios ultravioleta. Isso significa que as árvores e as plantas tropicais crescem à custa do sol. O aeroporto atende aos padrões europeus de eficiência energética: nele foram utilizados desenvolvimentos e soluções das empresas Danfoss, ABB, Carrier e Siteco. São sistemas climáticos e de iluminação inteligentes que regulam automaticamente a temperatura, a umidade e a intensidade da luz nas instalações do aeroporto.

"Na Europa Oriental não existem aeroportos semelhantes. O conceito geral do design dos aeroportos da Rússia é um pouco mais próximo dos exemplos europeus e americanos, não temos o luxo ostensivo, como na Ásia”, explica Oleg Panteleev, perito no campo da aviação e editor-chefe da agência de informações aeronáuticas “AviaPort”.

“Mas pode-se reconhecer que as soluções de design têm uma aparência moderna e elas realmente fazem com que os passageiros se sintam confortáveis."

Avançadas soluções de infraestrutura

O arquiteto francês Dominique Chavannes, que projeta edifícios de alta tecnologia na Europa, participou da criação do novo Terminal D em Cheremetievo.

"Na tradição russa de desenvolvimento, a estética sempre foi colocada acima da funcionalidade", diz a arquiteta Oksana Andréieva. “Mas nesse caso tudo se harmonizou bastante bem: na base da imagem arquitetônica e artística foi colocada a forma de um cisne gigantesco com as asas abertas. A imagem da ave foi retirada das obras do compositor russo Tchaikovski.  O núcleo do terminal é uma cúpula de vidro sob a qual foram dispostos os guichês de controle de passaporte. Os protótipos para o ornamento da cúpula foram pessoas de mãos dadas. Para os não iniciados, os elementos de madeira sobre o telhado de vidro lembram mais uma margarida.”

Eficiência energética

No Aeroporto Internacional Domodêdovo está sendo construído o segundo segmento do terminal de passageiros, que será duas vezes maior do que o Terminal 5 do Aeroporto Heathrow de Londres: sua área será de 439,5 mil metros quadrados e equivalerá a 61 campos de futebol. Foi projetado pela companhia europeia RMJM, conhecida pelo fato de ter construído a famosa roda de Falkirk –o único elevador de barcos rotativo (que conecta canais na Escócia Central). O novo terminal foi projetado pelo conceito “under the roof”, o que significa que o atendimento aos passageiros de todos os voos será realizado dentro dos limites de um único terminal.

Por exemplo, um dos principais “hubs” europeus, o Aeroporto Schiphol, em Amsterdam, opera com base no mesmo princípio.

O Aeroporto de Domodêdovo é totalmente revestido com vidro. A superfície espelhada permite refletir a luz do sol, o que favorece, em primeiro lugar, a criação de condições confortáveis para os visitantes e o aumento da eficiência energética na regulação da temperatura no terminal.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.