Aeroflot terá companhia “low-cost” com nome genérico

Na opinião de especialistas, é pouco provável que a falta de marca comercial influencie a campanha de marketing da companhia lowcost Foto: Maksim Blinov/RIA Nóvosti

Na opinião de especialistas, é pouco provável que a falta de marca comercial influencie a campanha de marketing da companhia lowcost Foto: Maksim Blinov/RIA Nóvosti

A Aeroflot resolveu não registrar um novo nome comercial substituindo a companhia Dobrolet, submetida a sanções por causa de voos com o destino à Crimeia. Até as barreiras serem levantadas, uma nova companhia aérea executará voos sob o nome genérico de Transportadora Aérea de Baixo Custo, com uma hipótese de seus aviões serem privados de signos distintivos.

A Aeroflot, a maior transportadora aérea russa, optou por não criar um nome comercial para uma  nova companhia aérea “low-cost”. Segundo o diário russo de negócios “Vedomosti”, que menciona uma fonte da companhia, a nova operadora terá o nome genérico de Transportadora Aérea de Baixo Custo, enquanto a Dobrolet continuar submetida às sanções.  O jornal cita um representante da companhia: “Para que criar um novo nome comercial, se já temos o da Dobrolet, conhecido e bem valorizado no mercado?”

Depois de a Dobrolet encerrar operações devido às sanções da União Europeia, em julho, por ter executado voos com o destino à Crimeia, seus parceiros europeus (Lufthansa Technik, entre outros) deixaram de poder prestar serviços à companhia com este nome. Por isso, a Aeroflot planejava criar um novo nome comercial, até que o Conselho Diretivo tomou outra decisão.

Os serviços da Transportadora Aérea de Baixo Custo serão minimizados: sua frota será limitada a 4 aviões Boeing 737-800, contratados com base em subleasing à própria Aeroflot. Não há planos de compra de aviões novos. As fuselagens não levarão nenhum signo distintivo ou terão a inscrição Transportadora Aérea de Baixo Custo em letras pequenas.

Marketing único

Na opinião de especialistas, é pouco provável que a falta de marca comercial influencie a campanha de marketing da companhia lowcost.

“Para uma transportadora do tipo, a marca comercial não tem grande importância, os preços baixos por si já serão a motivação para a compra de bilhetes. A promoção de marketing não será prejudicada”, disse Aleksandr Eriómenko, diretor geral da Brand Lab.

Na sua opinião, companhias “low-cost” na Rússia não precisam de publicidade devido à falta de concorrência neste mercado; a promoção se baseia nos baixos preços, que por si só estão desempenhando o papel da publicidade.

“Antes da crise de 2008, tínhamos duas companhias do tipo, a Avianova e a Sky Express (já fechadas), que não eram concorrentes entre si, simplesmente por executarem voos com destinos diferentes”, frisa Eriómenko, que completa que, na qualidade da pessoa jurídica, a Transportadora Aérea de Baixo Custo até pode usar o nome da Dobrolet escrito nos aviões.

Planos para o futuro

Enquanto a Dobrolet continua submetida às sanções, não pode trabalhar sob este nome com empresas estrangeiras. A nova companhia já solicitou um certificado de exploração, necessário para exercer a atividade, à Agência Estatal de Aviação Civil Rosaviatsia. Após receber o certificado, a Transportadora Aérea de Baixo Custo obterá uma licença e poderá iniciar a venda de bilhetes.

“A Aeroflot não duvida que as sanções em relação à Dobrolet são provisórias e que a procura de serviços da companhia haverá mesmo sem publicidade, exclusivamente por a proposta ser única”, opina Timur Nigmatullin, analista da Investcafé. Nos planos da companhia estavam também voos para o exterior, especificamente para Espanha e Israel; estes planos foram adiados devido às sanções.

Conforme informação da agência ITAR-TASS, baseada em uma fonte diplomática de uma das missões no Leste Europeu, a questão do início do processo de levantamento gradual das sanções pode ser agendada para a cúpula da União Europeia, marcada para 23 e 24 de outubro, e dependerá do desenvolvimento da situação na Ucrânia.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.