Companhia aérea russa encerra operações devido às sanções da EU

O lançamento de Dobrolet é a terceira tentativa de criar uma companhia aérea russa de transporte de baixo custo Foto: ITAR-TASS

O lançamento de Dobrolet é a terceira tentativa de criar uma companhia aérea russa de transporte de baixo custo Foto: ITAR-TASS

Empresa que operava voos de baixo custo funcionou por menos de dois meses.

Única companhia aérea de baixo custo da Rússia, a Dobrolet, criada pela Aeroflot (maior companhia aérea nacional), encerrou seu funcionamento devido às sanções da União Europeia. Esse é o terceiro caso de  fechamento de uma companhia aérea do tipo no país, mas dessa vez o fim da empresa ocorreu por razões puramente políticas: os contratos de leasing foram suspensos e ex-sócios alemães se recusaram a prestar serviços aos aviões da Dobrolet. 

Segundo o comunicado oficial da companhia Aeroflot, “em condições de pressão inédita por partes europeias, a companhia aérea russa teve que suspender os voos e a venda de passagens”. De acordo com a Aeroflot, parceiros europeus anularam os contratos de leasing de aviões, sua manutenção técnica e seguro. Isso aconteceu depois de a Dobrolet ser incluída na lista de empresas que sofreriam sanções da UE por ter "facilitado a integração da Crimeia com a Rússia", já que o primeiro voo da companhia, no dia de  14 de junho de 2014, foi realizado justamente para a capital da península, Simferopol.

Como resultado, as empresas europeias foram proibidas de cooperar com a Dobrolet e todos os bens da companhia na UE deverão ser congelados em breve. De acordo com o jornal russo "Kommersant", o problema principal foi a recusa da companhia aérea irlandesa SMBC Aviation Capital em executar um contrato de leasing de aviões Boeing 737-800NG. A Dobrolet já havia recebido dois aviões, e até o final do ano esse número deveria aumentar para oito. Em 2015, era planejada a compra de mais oito aviões. Além disso, a empresa alemã Lufthansa se recusou a prestar manutenção técnica às aeronaves. 

Passagens a R$ 62

A empresa aérea nacional russa Aeroflot anunciou a criação de sua própria companhia de baixo custo em outubro de 2013. No entanto, os voos da Dobrolet começaram a ser realizados apenas em junho de 2014. As passagens para a Crimeia eram vendidas a preço especial: a partir de 999 rublos (cerca de R$ 62) até 3.499 rublos (cerca de R$ 219) – o que incluía um subsídio especial do governo russo.

De acordo com as informações dadas a Gazeta Russa pela assessoria de imprensa da Dobrolet, em agosto a companhia planejava abrir mais duas rotas domésticas: de Moscou para Volgogrado (970 km de Moscou) e de Moscou para Perm (1.442 km de Moscou). O número total de passageiros transportados no começo de agosto era de cerca de 65 mil. 

As perdas da Aeroflot causadas pelo encerramento da Dobrolet ainda não foram divulgadas. De acordo com analistas do Sberbank (primeiro banco nacional da Rússia), a Aeroflot gastou US$ 20 milhões no projeto da companhia aérea.  O prejuízo só não será maior porque todos os aviões estão registrados no nome da Aeroflot, que poderá incorporá-los à sua frota aérea.

Atualmente, além da Dobrolet muitas outras companhias aéreas russas voam para a Crimeia, incluindo a Aeroflot, a Transaero, a S7, Ural Airlines e Red Wings. De acordo com informações dadas ao RBTH, o governo russo teme que outras empresas aéreas também possam entrar na lista das sanções. Segundo o jornal russo “Vedomosti", caso isso aconteça, as autoridades russas podem restringir ou até proibir às empresas aéreas europeias de realizar voos de trânsito da Europa para a Ásia através do território russo. No entanto, representantes do governo negaram essa possibilidade. 

Para o especialista da agência de investimentos Finam Managemnent, Dmítri Baranov, as razões para a suspensão da atividade da empresa são apenas políticas e não devem afetar outras empresas do setor. "Isso significa que o caso não influenciará a atividade de outras companhias aéreas russas de baixo custo. Além disso, em breve a própria Dobrolet poderá continuar seu trabalho", disse o especialista.

Mercado concentrado

O lançamento de Dobrolet é a terceira tentativa de criar uma companhia aérea russa de transporte de baixo custo. As duas empresas que foram criadas seguindo o mesmo modelo, Sky Express e Avianova, faliram em 2011, por razões exclusivamente econômicas. De acordo com o chefe do departamento de análise da agência Russ-Invest, Dmitry Bedenkov, mesmo após o encerramento da Dobrolet, a perspectiva de criação de uma nova companhia aérea russa de baixo custo ainda existe.

O mercado do transporte aéreo russo é altamente concentrado: cerca de 70% pertence a três grandes companhias aéreas - Aeroflot, Transaero e S7. Além disso, um terço dos passageiros de voos internacionais é transportado por companhias aéreas estrangeiras. "A participação de voos fretados no transporte internacional caiu de 30% em 2007 para menos de 25% em 2013. Isso se devido à política de preços mais flexíveis aplicada pelas principais companhias aéreas", diz Badenkov. 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.