Demanda por veículos na Rússia registra queda recorde

Apesar da queda de consumo, dimensão do mercado russo ainda é fator positivo para atrair investidores estrangeiros Foto: Mikhail Mordassov / RIA Nóvosti

Apesar da queda de consumo, dimensão do mercado russo ainda é fator positivo para atrair investidores estrangeiros Foto: Mikhail Mordassov / RIA Nóvosti

Resultados do final de maio mostram que as vendas da Ford caíram 56%; da Citroën, 40%; e da Peugeot, 37%. Segundo os especialistas, índices negativos revelam a estagnação da economia nacional.

De acordo com a pesquisa realizada pela Associação Europeia de Negócios, o mercado de veículos comerciais e de passageiros caiu em 12% no mês passado, com a venda de pouco mais de 200 mil automóveis. Em comparação com maio do ano passado, as vendas da Ford caíram em 56%; da Citroën, em 40%; da Peugeot, em 37%; da Chevrolet, em 31%; e da Volkswagen, em 19%.

Os autores da pesquisa explicam a queda recorde da Ford pelo aumento dos preços dos veículos em decorrência do enfraquecimento do rublo e pela falta da modernização das máquinas. As vendas do modelo mais popular da marca, o Ford Focus, caíram em 68% para 1.900 veículos e sua participação no mercado, em comparação com o mesmo período do ano passado, caiu exatamente pela metade, de 4% para 2%.

A título de comparação, as vendas da marca russa Lada,  que continua a ser o veículo mais popular no país, caíram 10% em maio – em um mês foram vendidos pouco mais de 34 mil veículos, quase 3 mil a menos do que em abril passado. Nesse mesmo período, a coreana Kia sofreu uma queda mínima nas vendas, na faixa de apenas 2%, enquanto a Nissan consolidou o seu crescimento, vendendo 22% a mais do que em maio de 2013.

Os especialistas garantem, entretanto, que a forte queda nas vendas de automóveis não pode ser explicada só pela desvalorização do rublo ou pela volatilidade nos mercados financeiros – essas podem ser apenas as causas iniciais. “A queda da economia e a desvalorização do rublo afetaram os preços dos automóveis e o comportamento do consumidor”, explica a analista da Frost & Sullivan, Anna Ozdelen. Os consumidores estão esperando que a situação se estabilize, adianta a economista.

“A situação no mercado russo de veículos é um excelente indicador do que está acontecendo na economia. Se as vendas de carros estão em declínio, isso significa que a economia não está muita saudável, há estagnação ou crise”, aponta também o analista da Finam Management, Dmítri Baranov.

Corrida interna

O mercado de automóveis é um dos mais importantes para a economia da Rússia. Por isso, o governo federal vem adotando uma política destinada a atrair empresas estrangeiras de automóveis que tenham intenção de produzir em varias áreas do país. Na região de São Petersburgo, por exemplo, são produzidos atualmente modelos Ford, enquanto Moscou concentra a fabricação de carros da Renault, e Kaluga, de veículos da Volkswagen.

“A oferta excede a demanda. Muitas empresas de automóveis mudaram sua política de fornecimento. Por exemplo, a Toyota começou a reduzir suas exportações para a Rússia, a Porsche também oferece menos carros”, diz o vice-presidente da AutoSpecCenter, Vladímir Mojenkov, acrescentando que as empresas com fábrica de montagem na Rússia dependem especialmente do apoio do governo.

Apesar dos índices negativos, o mercado de veículos russo continua a ser atraente para os investidores estrangeiros por causa de sua dimensão, do estoque de veículos antigos e do aumento da renda da população. O segmento mais promissor são os veículos da classe de utilitário esportivo (SUV), cujas vendas entre janeiro e abril de 2014 aumentaram 4,7% em comparação com o mesmo período do ano passado.

Em meio à queda da demanda geral por carros, o líder do mercado russo, a empresa AvtoVAZ, anunciou, contudo, o lançamento de seu modelo próprio SUV. Na segunda metade do ano, a Lada também lançará três versões do carro no estilo crossover: Lada Kalina Cross, Lada Largus Cross e Lada 4x4 Urban.

“Essa decisão atende à estratégia de desenvolvimento da empresa adotada há alguns anos, que prevê a criação de novos modelos de veículos e sua periódica modernização”, explica Dmítri Baranov.  “Mas o desenvolvimento da indústria nacional de automóveis em 2014 dependerá principalmente da evolução da economia do país.”

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.