Visa e MasterCard continuarão operando no país

Bloqueio de cartões bancários por exigência do governo norte-americano não será mais possível Foto: ITAR-TASS

Bloqueio de cartões bancários por exigência do governo norte-americano não será mais possível Foto: ITAR-TASS

Autoridades russas e representantes dos sistemas de pagamento americanos realizaram negociações bem sucedidas durante o Fórum Econômico de São Petersburgo. Sistemas de pagamento americanos atuarão sob legislação local até criarem uma subsidiária na Rússia.

O acordo foi obtido no Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo (Spief), durante as negociações do vice-premiê russo, Igor Chuvalov, e o ministro das Finanças, Anton Siluanov, com o presidente-executivo da Visa para a Europa Central e Oriental, Oriente Médio e África, Kamran Siddiqi, e com a presidente da MasterCard para os mercados europeus desenvolvidos, Bella Stavchansky.

“A Visa e a MasterCard estão prontas para continuar operando no nosso país. A proposta em questão também foi aceita pelo Estado russo”, anunciou o analista da holding de investimentos Finam, Anton Soroko. Segundo ele, essa decisão era previsível, já que alguns dias antes havia surgido a notícia de que os legisladores poderiam suavizar os requisitos exigidos aos sistemas de pagamento norte-americanos.

Pelo acordo, as empresas vão criar uma subsidiária na Rússia, o que levará cerca de um ano e meio. Ate lá, ambas devem depositar um caução no Banco Central no montante do volume de negócios de dois dias na Rússia. Se o sistema de pagamento se recusar a cobrir as transações de cartões de determinado banco, ele terá que pagar uma multa de 10% do depósito de segurança. A decisão foi uma resposta das autoridades ao bloqueio dos cartões emitidos por bancos que entraram na lista das sanções dos EUA.

De acordo com avaliação da Morgan Stanley, feita com base no volume diário de transações em dinheiro vivo e eletrônico através de cartões de pagamento na Rússia, que atinge o valor de US$ 1,6 bilhão, a MasterCard teria que depositar US$ 1 bilhão no banco, e a Visa, US$ 1,9 bilhões.

Antes do início do Spief-2014, a Visa havia informado que, após a entrada em vigor da nova norma em 1o de julho, a empresa deixaria de operar na Rússia. Discursando para uma plateia de investidores em Boston, o presidente-executivo da Visa, Charlie Scharf, dissera que os requisitos das autoridades russas “iam além” do que a empresa estava disposta a fazer.

Trabalho futuro

Em entrevista à agência Itar-Tass, o ministro das Finanças, Anton Siluanov, confirmou que a Visa e MasterCard criarão uma subsidiária no país, que estará integrada ao sistema nacional de pagamentos e baseada no Banco Central da Rússia. “O processamento passa a ser efetuado dentro da Rússia, não vai sair do nosso território”, explicou o ministro.

Assim, o bloqueio de cartões bancários por exigência do governo norte-americano não será mais possível. Ainda não foram divulgados maiores detalhes sobre as negociações. “Acredito que os sistemas de pagamento internacionais vão continuar operando no mesmo formato como têm trabalhado até agora e, em paralelo, vão criar os sistemas de ‘filiais’ de pagamento na Rússia”, sugere o analista da Investkafe, Mikhail Kuzmin.

As exigências da nova legislação russa lembram as restrições que a Visa e a MasterCard tiveram que enfrentar na Turquia e na Bielorrússia. Para efeito de comparação, na Turquia, as empresas se juntaram ao processamento de um dos operadores nacionais, pelo qual se dão todas as transações internas realizadas com cartão. Já na Bielorrússia, todas as operações são realizadas no mercado interno pelo sistema BelCard. Só quando os pagamentos são feitos fora do país é que a transação passa pelo processamento da MasterCard internacional.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.