Vice-premiê anuncia corte da emissão de gases que causam efeito estufa

Dvorkovitch: “Na luta pela segurança energética, não haverá vencedores nem vencidos" Foto: RG

Dvorkovitch: “Na luta pela segurança energética, não haverá vencedores nem vencidos" Foto: RG

A Rússia planeja reduzir a liberação de gases que causam efeito estufa a 75% do nível de 1990 até 2020, informou o vice-primeiro-ministro, Arkádi Dvorkovitch, na abertura da reunião ministerial no Fórum Internacional de Energia (FIE), em Moscou.

De acordo com o vice-premiê, cerca de dois terços das emissões globais de gases de efeito estufa estão ligadas à produção e consumo de energia, “um problema que envolve política energética global”.

“A Rússia planeja cortar o volume de emissões de gases de efeito estufa até 2020, atingindo 75% do volume emitido em 1990”, anunciou Dvorkovitch, acrescentando que “as novas orientações serão especificadas em uma nova estratégia energética até 2035”.

A “pobreza energética” é, segundo o vice-primeiro-ministro, outro desafio contemporâneo nessa esfera. “Ao longo dos últimos 10 anos, a Rússia concedeu mais de US$ 3 bilhões no âmbito da prestação de assistência oficial para o desenvolvimento”, disse.

“Na luta pela segurança energética, não haverá vencedores nem vencidos; no final, todos irão ganhar ou perder”, concluiu o vice-premiê.

 

Publicado originalmente pela agência Itar-Tass

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.