Aeroporto de Sõtchi ganhará nas olimpíadas mais de 40 milhões de dólares

Ao tempo dos jogos, a prioridade é dos voos regulares de companhias nacionais e internacionais, bem como dos aviões nos quais chegam as equipes esportivas Foto: RIA Nóvosti

Ao tempo dos jogos, a prioridade é dos voos regulares de companhias nacionais e internacionais, bem como dos aviões nos quais chegam as equipes esportivas Foto: RIA Nóvosti

Ao tempo das Olimpíadas, o aeroporto de Sôtchi pode ganhar cerca de 42 milhões de dólares de jatos executivos. Para comparação, a receita do aeroporto por todo o ano de 2012 foi de 70 milhões de dólares. O aeroporto já recebeu 650 requerimentos para recebimento de aviões particulares no período dos jogos olímpicos.

Pelo serviço de cada avião, empresários pagarão cerca de 64 mil dólares. No pacote de serviços estão inclusos: estacionamento do avião, slot para pouso e decolagem, limpeza e abastecimento.

O serviço de imprensa da Basel Aero (empresa do bilionário russo Oleg Deripaska que controla o aeroporto) atribuiu o alto custo do serviço paras jato executivos ao fato que a maioria dos requerimentos são para a abertura e fechamento dos Jogos que são os dias de pico.

"O quinhão de voos executivos no período das Olimpíadas pode compor cerca de 30% do número geral de voos recebidos no aeroporto. Nós já temos 650 requerimentos de serviço para jatos executivos. Isso é cinco vezes mais do que no período do Fórum Internacional de Investimento do ano passado em Sotchi, no qual prestaram serviço para 115 jatos executivos" – informaram a Gazeta Russa o serviço de imprensa da Basel Aero.

Ao tempo dos jogos, a prioridade é dos voos regulares de companhias nacionais e internacionais, bem como dos aviões nos quais chegam as equipes esportivas, afirma o representante da Basel Aero. O serviço dos voos da aviação executiva que não caírem na agenda diurna, serão feitos à noite.

As Olimpíadas são um evento importante e a quantidade de jatos executivos deve ser bem maior que 650 voos, entende o chefe do projeto especializado em aviação executiva BizavNews, Dmitri Petrotchenko. Ele recordou que ao tempo do Fórum Econômico Mundial de Davos foram declarados 1,5 mil aviões de classe executiva e eles foram distribuídos entre os aeroportos de Genebra e Zurique. Um aeródromo militar perto de Genebra foi parcialmente equipado para estacionamento de aviões particulares. Nos aeroportos suíços, o serviço dos aviões mais populares, Bombardier Challenger 300 (8–9 passageiros), custa para os operadores de 3,3 a 3,5 mil dólares, diz o especialista. Isso inclui estacionamento por um dia, e as vezes os aviões são levados por 3 ou 4 dias ao aeródromo militar, onde os preços são ainda menores. As mesmas tarifas vigeram durante do Fórum Econômico.


Durante as Olimpíadas de Sotchi é melhor não voar, o aeroporto estará trabalhando no pico de sua capacidade, afirma um dos operadores executivos russos. Ele explica isso com as dificuldades ligadas ao conseguimento de slots. Todos os slots foram distribuídos de antemão, confirmou o representante da Rosavitsia. Agora só se pode conseguir slots por dois caminhos: resgatar de outra empresa ou através do comando de coordenação de pouso e decolagem de jatos executivos de Sotchi. Na Europa esses problemas não existem, os jatos executivos voam por ordem informativa, e para eles não são reservados slots para pouso e decolagem.

Em Sotchi, aos aviões particulares, estarão disponíveis os aeroportos reservas da Basel Aero em Anapa e Krasnodar. Eles se encontram a 32 minutos de voo de Sôtchi. Lá estão previstos, respectivamente, 35 e 40 lugares para estacionamento.

Com base no material da RBC-Daily e informação própria da Gazeta Russa

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.