Possível entrada do Cazaquistão na OMC preocupa russos

Quando a Rússia entrou na OMC, o governo do país negociou condições tarifárias com outros membros da União Aduaneira Foto: Reuters

Quando a Rússia entrou na OMC, o governo do país negociou condições tarifárias com outros membros da União Aduaneira Foto: Reuters

O Cazaquistão quer acelerar o processo da adesão à OMC (Organização Mundial do Comérico), um motivo de preocupação para a Rússia. Os especialistas acreditam que os EUA e a União Europeia poderiam desviar-se do mercado russo através do país centro-asiático. Se as negociações forem bem sucedidas, todo sucesso da Rússia durante o processo de adesão à OMC poderá se tornar inútil, dizem especialistas.

Durante encontro com o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, o presidente do Cazaquistão, Nursultan Nazarbaiev, pediu que líderes da União Europeia acelerem as negociações sobre a adesão do país à OMC. O país pretende se tornar um membro da OMC desde 1993, motivo de preocupação na Rússia.

"O volume de comércio com a União Europeia ultrapassa US$ 50 bilhões. Atualmente, estamos trabalhando em uma série de questões, inclusive na elaboração do acordo sobre o aumento de parceria e cooperação”, declarou Nazarbaiev.

“Estamos interessados na assinatura rápida desse documento. Além disso, gostaríamos de resolver a questão de isenção de vistos com a União Europeia. No entanto, o mais importante é a entrada do nosso país na OMC ", completou o presidente.

A União Aduaneira, que integra Rússia, Bielorrússia e Cazaquistão, é o primeiro projeto econômico sério no território pós-soviético. Ela estabelece um território aduaneiro único, dentro de cujos limites do comércio mútuo de mercadorias não são aplicados tributos aduaneiros e restrições de caráter econômico, com exceção de medidas especiais de proteção, antidumping e compensação.

Os países do bloco aplicam a tarifa única aduaneira e outras medidas unificadas de regulamentação do comércio de mercadorias com outros países. 

De acordo com especialistas, os EUA e a União Europeia tentam obter tarifas mais baixas do que as da União Aduaneira (área de livre comércio entre Rússia, Cazaquistão e Bielorrússia) e entrar no mercado russo através do Cazaquistão.

"Isso é uma ameaça direta para a economia russa e, especialmente, para as indústrias que Moscou conseguiu defender em frente da OMC (automotiva, agrícola e aeronáutica). A Federação Russa conseguiu estabelecer um plano da redução gradual de tarifas durante um período de transição", diz o diretor do departamento analítico da empresa de corretores Alpari, Aleksandr Razuvaev.

“Se o Cazaquistão entrar na OMC e aceitar a redução de impostos proposta pela organização, o mercado russo receberá muitos carros, aviões, helicópteros, máquinas agrícolas do país centro-asiático. Isso destruiria o mercado de produtos russos, que simplesmente não podem competir com baratos produtos importados”, diz Razuvaev.

O vice-primeiro-ministro russo, Ígor Chuvalov, acredita que o mercado cazaque é importante para o Ocidente, mas que o mercado russo é ainda mais atrativo. De acordo com ele, o tamanho da economia russa é de US$ 2 trilhões, enquanto a economia do Cazaquistão não ultrapassa US$ 200 bilhões.

"Eles estão tentando entrar no nosso mercado com as condições que foram rejeitadas pela Rússia", afirma Chuvalov. Segundo ele, o Cazaquistão se tornou um "refém".

História da adesão

Quando a Rússia entrou na OMC, o governo do país negociou condições tarifárias com outros membros da União Aduaneira (Bielorrússia e Cazaquistão). Agora, a Rússia espera o mesmo do Cazaquistão.

"Se o Cazaquistão decidir que a entrada na OMC é mais importante do que a sua integração na União Aduaneira, poderá acontecer tudo”, diz o chefe do laboratório de comércio internacional Instituto Gaidar, Aleksandr Knobell.

“O Cazaquistão até poderá sair da União Aduaneira. Ou Rússia vai fazer tudo para manter a União e aceitará todas as condições do Cazaquistão”, diz Knobell.

Segundo Razuvaev, a situação poderia ser resolvida se o Cazaquistão conseguir entrar na OMC com condições tarifárias que não contradizem as relações financeiras entre a organização e a Rússia. "O Ocidente sempre prefere negociar com os fortes. Se a OMC enfrentar uma posição unida entre a Rússia e o Cazaquistão, eles terão que aceitar as condições da União Aduaneira”, completou Razuvaev.

 

Com informações dos jornais Vzgliad e Rosbalt

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.