Falta de mão de obra afeta principalmente indústria de base

Na verdade, é bastante difícil encontrar um emprego na área de trabalho manual Foto: PhotoXPress

Na verdade, é bastante difícil encontrar um emprego na área de trabalho manual Foto: PhotoXPress

As autoridades do país tentam elevar o prestígio dos ofícios entre os jovens e reformar o sistema de formação profissional. Especialistas propõem resolver o problema trazendo imigrantes dos países asiáticos, especialmente da China e do Vietnã.

O mercado de trabalho russo precisa de trabalhadores urgentemente. O problema afeta não apenas Moscou, mas também outras regiões do país como São Petersburgo, Ulianovsk, Vladivostok, Riazan ou Perm. 

De acordo com dados de novembro Serviço Federal de Trabalho e Emprego da Rússia, que analisa a oferta e a demanda dos postos de trabalho mais solicitados, faltam cerca de 100 mil trabalhadores qualificados, 62 mil motoristas, 37 mil pedreiros e quase 100 mil  cozinheiros, carpinteiros, alfaiates, entre outros.

Leónti Bizov, especialista do Instituto Sociológico da Academia de Ciências da Rússia, afirma que o problema é uma parte de uma tendência global. “As grandes cidades desenvolvidas nas condições da revolução pós-industrial se liberam da indústria e se dedicam aos diferentes tipos de serviços e não à produção”, diz Bizov. 

Segundo Bizov, os jovens que vivem em cidades com mais de um milhão de habitantes estão acostumados aos salários relativamente altos e às condições de trabalho mais confortáveis, sem poeira, sujeira e frio. 

“O salário médio para um trabalho de escritório é comparável ao da fábrica, de cerca de US$ 900 a US$ 1.200 por mês. É óbvio que os jovens preferem o trabalho no escritório”, explica Bizov.

As autoridades russas tentam popularizar o trabalho manual. Desde 2012, o governo realiza o programa “A Fábrica para as Crianças” em Moscou com o objetivo de levar as crianças às fábricas para ensiná-las como funcionam os motores, como se produzem os cosméticos, como se costuram roupas etc.

Dificuldade

Na verdade, é bastante difícil encontrar um emprego na área de trabalho manual.

Em São Petersburgo, Iliá Lille trabalhou como alpinista industrial numa empresa estatal durante os últimos cinco anos. “Trabalhei numa equipe de seis pessoas. Ganhamos cerca de US$ 2.400 por mês”, diz Lille. “No ano passado, a empresa decidiu demitir toda a equipe e contratou trabalhadores estrangeiros, principalmente da Bielorrússia. Os imigrantes fazem o mesmo trabalho e ganham cerca de US$ 900 por mês”, completou.

A maioria dos imigrantes trabalha na Rússia ilegalmente e em péssimas condições. 

O vice-diretor do departamento de economia regional e geografia econômica da Escola Superior de Economia, Aleksêi Skópin, afirma que a Rússia já passou a etapa de desenvolvimento industrial. Para ele, a juventude não deve preencher vagas de baixa qualificação.

"É melhor resolver o problema de falta de trabalhadores trazendo imigrantes dos países do sudeste asiático, especialmente da China e do Vietnã. São fontes de trabalho ideias, as pessoas trabalham na indústria desde a infância", diz Skópin. 

De acordo com Skópin, a única área da economia que precisa de mão de obra russa é o setor da defesa militar, onde é proibido contratar imigrantes. “A demanda atual russa para vagas no setor militar é de 50 mil pessoas”, completou Skópin.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.