Aeroporto de testes em Moscou poderá receber passageiros

Ramenskoie é um aeroporto experimental que existe desde 1941 Foto: ITAR-TASS

Ramenskoie é um aeroporto experimental que existe desde 1941 Foto: ITAR-TASS

De acordo com estimativas, no final de 2019, o aeroporto Ramenskoie deverá se tornar um completo centro de operações aéreas de voos comerciais que irá atender até 10 milhões de passageiros por ano.

O aeroporto de testes Ramenskoie, famoso por causa do Salão Internacional de Aviação e Espaço (MAKS, na sigla em russo), poderá virar um novo aeroporto internacional em Moscou. Uma concorrência para os investidores já foi aberta. De acordo com  estimativas, no final de 2019, o aeroporto deverá se tornar um completo centro de operações aéreas de voos comerciais que irá atender até 10 milhões de passageiros por ano.

Os potenciais investidores devem estar dispostos a investir um total de 7 bilhões de rublos (US$ 213 milhões) no projeto.

A concorrência foi anunciada pela companhia TVK Rússia (Complexo de Transporte e Exposição Rússia), que é subsidiária da corporação estatal Rostekhnadzor e proprietária dos terrenos que integram o perímetro do aeroporto.

Ramenskoie é um aeroporto experimental que existe desde 1941.  É capaz de receber quaisquer tipos de aeronaves, sem limitação de peso de decolagem. Sua principal característica distintiva é a pista principal de decolagem mais longa da Rússia e da Europa, com 5.402 metros de extensão.

Durante a Segunda Guerra Mundial, os seus hangares funcionavam como base para os bombardeiros de longo alcance e para os aviões de ataque. Aqui foi realizada a maioria dos testes das aeronaves produzidas tanto na URSS como na Rússia atual. O aeroporto tem um simbólico indicativo de chamada de rádio: "Gordii" (Orgulhoso).

Atualmente, estão baseados no aeroporto os aviões do Ministério de Situações de Emergências da Federação Russa, bem como as aeronaves do Ministério dos Assuntos Internos da Rússia e do Serviço Federal de Segurança russo. Além dos voos experimentais, o aeroporto também é usado pela aviação civil como um aeroporto internacional de cargas.

No futuro, o centro de operações aéreas irá se desenvolver como um aeroporto que servirá de base conjunta à aviação experimental, estatal e civil.

Os prazos declarados para a realização do projeto impressionam. Até 2015, deve ser construído em Ramenskoie um "complexo multifuncional" com um terminal internacional de passageiros para empresas que trabalham com voos de baixo custo, capaz de permitir o trânsito de 400 mil pessoas. Mais tarde a capacidade do terminal deverá chegar até 1,5 milhões de pessoas por ano. Planeja-se abrir um segundo terminal de passageiros, bem como o terminal de cargas, até o segundo trimestre de 2017.  No final de 2019, o aeroporto deverá atender cerca de 10 milhões de passageiros por ano e processar 25 mil toneladas de cargas.

Rigorosos requisitos são exigidos do investidor: pelo menos 25% de suas ações devem ser negociadas na bolsa de valores e ele deve ter experiência na área de construção de infraestruturas aeroportuárias. Além disso, ele não pode estar associado “a qualquer companhia aérea que realiza transporte regular de passageiros e cargas ou a um fabricante de aeronaves”. O investidor também deve possuir diferentes certificados internacionais: o certificado de prestação de serviços aos passageiros em terra ou o certificado de execução de serviços de manutenção nos aviões de fabricação estrangeira, por exemplo .

A TVK Rússia irá criar uma joint venture juntamente com o vencedor da concorrência. No âmbito desse empreendimento conjunto a TVK irá deter pelo menos 25% das ações, mais uma. As instalações e os terrenos utilizados pelo aeroporto serão arrendados para a joint venture pelo período de 49 anos.

O projeto já despertou o interesse das três maiores holdings aeroportuárias privadas da Rússia.

De acordo com o perito independente Andrêi Kramarenko, os cálculos da TVK Rússia relativos à proporção entre o tráfego de passageiros e o número de operações de pouso e decolagem em Ramenskoie são característicos para os aviões de fuselagem larga (Airbus), nos quais, para cada voo, é prevista a presença de 180 a 330 passageiros. É possível que o aeroporto seja projetado para voos charter e não para voos de baixo custo. Além disso, adiciona o perito, apenas as operadoras aeroportuárias estrangeiras poderiam se adequar às rigorosas condições da concorrência. A questão é qual o grau de interesse que o projeto irá suscitar nos grandes playersinternacionais.

 

Publicado originalmente pelo Kommesrsant

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.