Rússia é líder da Europa em construção de shopping centers

Embora relatório aponte que a Rússia detém o recorde de construção de shoppings, o mercado está longe de estar saturado Foto: ITAR-TASS

Embora relatório aponte que a Rússia detém o recorde de construção de shoppings, o mercado está longe de estar saturado Foto: ITAR-TASS

País está classificado em primeiro lugar na Europa em construção de espaço de varejo, mas ainda apresenta uma razão menor entre o número de shopping centers e o de pessoas. De acordo com consultoria de imóveis Cushman & Wakefield, número de espaços comerciais que estão sendo construídos aponta para desenvolvimento do setor.

Com mais de 456 mil metros quadrados de espaço comercial construídos apenas no primeiro semestre de 2013, a Rússia liderou os rankings de construção de centros comerciais, seguida pela Turquia (422 mil metros).

A Rússia ficou em terceiro lugar, atrás da Turquia e do Reino Unido quando o assunto é centros comerciais em operação, mas pode ultrapassar os britânicos até o final de 2014, quando haverá um pouco menos de 19 milhões de metros quadrados destinados ao varejo na Rússia.

No entanto, a Rússia ocupa apenas o 28º na Europa em termos de espaço comercial por cidadão, com apenas 111 metros quadrados de lojas para cada mil pessoas. Noruega e Luxemburgo ficarem em primeiro e segundo lugar, respectivamente, com 632 e 538 metros quadrados por pessoa.

Embora o relatório aponte que a Rússia detém o recorde de construção de shoppings, o mercado está longe de estar saturado, garantem os analistas de varejo.

“Não estamos vendo um número recorde de centros comerciais, nossa empresa está em constante busca de mais espaço no varejo e essa não é uma tarefa fácil”, diz Patrick Longuet, presidente da rede varejista O’Key.

As perspectivas de retorno também são boas, sugerem os especialistas. O segmento de varejo premium em Moscou obtém 9% do investimento por ano, e é ainda maior nas regiões fora dos centros - chegando entre 10 e 13%, de acordo com a empresa de imóveis comerciais CBRE. Enquanto isso, as cidades europeias têm tido dificuldade para garantir esse volume de retorno no setor de varejo. O rendimento foi avaliado entre 2,7 e 3,5% em Londres, de 4 a 4,5& em Paris, e quase 6% em Varsóvia.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow Times

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.