Olimpíada liga Sôtchi ao mundo

Para completar o sistema de transporte em Sôtchi e ligá-la aos municípios vizinhos, serão implantados também os chamados  “Andorinhas”, trens que funcionam nas mais diversas condições climáticas Foto: ITAR-TASS

Para completar o sistema de transporte em Sôtchi e ligá-la aos municípios vizinhos, serão implantados também os chamados “Andorinhas”, trens que funcionam nas mais diversas condições climáticas Foto: ITAR-TASS

Novas ferrovias e aumento da malha aérea facilitarão acesso à cidade no sul da Rússia. Operadores de celular russas também estão investindo para garantir tecnologia 4G durante o evento.

A maioria dos participantes e visitantes das Olimpíadas de Sôtchi, em fevereiro de 2014, chegará à cidade no sul do país por via aérea. Por isso, a companhia aérea russa Aeroflot planeja aumentar a quantidade de voos diários que partem da capital rumo a Sôtchi, dos atuais 5 para até 12 voos por dia.

Entre os dias 27 de janeiro e 25 fevereiro de 2014, a companhia russa também vai ligar diretamente Sôtchi ao aeroporto de Frankfurt, um dos maiores centros de conexão de passageiros da Europa. Além disso, a Aeroflot garante que vários voos terão Wi-Fi gratuito à disposição dos clientes.

Com o aumento do fluxo de visitantes, uma nova linha ferroviária ligará o centro de Sôtchi ao aeroporto local, e as autoridades preveem que mais da metade do total de visitantes deverá fazer o trajeto de trem (a viagem dura pouco menos de uma hora).

Paralelamente, a companhia de transporte Ferrovias Russas (RZD) está construindo a artéria terrestre principal de acesso aos Jogos de Inverno. Trata-se de uma via que combina estrada e ferrovia desde Adler, distrito de Sôtchi ao longo do mar Negro, até a estação Alpica Service, de onde será possível chegar ao complexo esportivo Sanki e outras instalações olímpicas. Ao longo dessa pista com total de 48,2 km haverá 12 túneis cruzando montanhas e 46 pontes.

Para completar o sistema de transporte em Sôtchi e ligá-la aos municípios vizinhos, serão implantados também os chamados  “Andorinhas”, trens que funcionam nas mais diversas condições climáticas (entre -40ºC e 40 °C) e possuem plataformas elevatórias para cadeiras de rodas.

Entre as inovações dos transportes ferroviários mencionados, os projetistas ressaltam a existência de sinais de luz e som adicionais, indicadores táteis nas placas de sinalização e avisos para os deficientes visuais e auditivos, bilheterias com acesso especial para a venda de ingressos e salas de descanso nas respectivas estações.

4G em expansão

A sobrecarga da rede de telecomunicações móveis e internet também é motivo de preocupação para as maiores operadores nacionais.

A MegaFon, por exemplo, está construindo infraestruturas de telecomunicações em Sôtchi, onde mais de 700 estações de rádio irão garantir cobertura móvel em 2G/3G/4G.

Aliás, os Jogos Olímpicos de Inverno em Sôtchi serão os primeiros na história do evento em que serão disponibilizados rede 4G e velocidades de 10 MB/seg.

 

Publicado originalmente pelo Kommersant

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.