Start-ups russas apostam na entrega de soluções prontas para os clientes

Aleksêi e Nadejda Botchkarióvi, os fundadores da loja online Lamoda Foto: Press Photo

Aleksêi e Nadejda Botchkarióvi, os fundadores da loja online Lamoda Foto: Press Photo

Cada vez mais start-ups na área do e-commerce surgem no mercado russo. E a nova tendência vem acompanhada não apenas pelas lojas online comuns, mas por toda uma gama de serviços ligados às mercadorias.

Aleksêi e Nadejda Botchkarióvi, os fundadores da loja online Lamoda, criaram um serviço para venda de conjuntos completos de cinco a sete peças selecionadas por estilistas profissionais. A sua criação –o Looksima (Look I most adore)– está presente em dois mercados: nos Estados Unidos e na Rússia. Nos próximos dois anos, eles  planejam abrir o negócio a outros mercados, entre eles o asiático.

O público-alvo da Looksima.ru são mulheres entre 25 e 35 anos. No site, os artigos das lojas online estão reunidas em “looks” e são estilistas em início de carreira ou já profissionais que ajudam a escolher o melhor look para cada pessoa que recorre ao serviço. Ao se cadastrar no site, o cliente passa por um teste que determina o seu estilo individual e, em conformidade com o resultado, o serviço envia os looks elaborados pelos profissionais e separados por categorias (casual, encontro romântico, encontro de negócios, entre outros). Qualquer artigo do look pode ser comprado na loja online dos parceiros Looksima. Ao todo, os sites americanos e russos do serviço têm mais de 100 estilistas trabalhando e acesso às coleções de 50 lojas. De cada compra feita, não apenas o site fornecedor do serviço recebe uma comissão, como também o estilista que selecionou os conjuntos.

Além disso, na Looksima, o usuário pode carregar no sistema três fotos suas com roupas diferentes e pedir ao estilista que avalie a sua escolha ou, até mesmo, ter alguma questão específica respondida em um chat. O site rentabiliza o serviço, propondo aos clientes que comprem o “look” relacionado com a questão. Qualquer pessoa interessada pode também obter um "passaporte de estilos" –um documento de 20 páginas com conjuntos pessoais recomendados conforme o estilo da pessoa.

As lojas físicas que trabalham em parceria com este serviço têm óbvia vantagem com este modelo de negócio, visto que têm acesso direto a uma clientela obviamente direcionada para as compras online.

E os estilistas em início de carreira têm assim uma oportunidade de aparecer.

"Na Rússia, é muito mais difícil  para os estilistas entrar no mercado de trabalho do que nos EUA ou na Europa”, diz Stanislav Zimin, um dos primeiros estilistas que começou a trabalhar com o site. “A Looksima dá aos profissionais em início de carreira acesso a um público amplo: se o look criado por você receber muitas curtidas no site, isto já significa que você está chamando a atenção como profissional."

Na Looksima, o usuário pode carregar no sistema três fotos suas com roupas diferentes e pedir ao estilista que avalie a sua escolha Foto: Press Photo

De acordo com estimativas do cofundador do projeto, Aleksêi Botchkariov, o mercado russo para a moda online está duplicando a cada ano e em 2012 passou a marca dos US$ 2 bilhões (para comparação, nos EUA, o crescimento anual do mercado é de 16%), por isso os empresários estão apostando no desenvolvimento da plataforma russa Looksima. Hoje, o projeto já atrai clientes através das redes sociais e da publicidade online. Além disso, estilistas e novos parceiros vão trazendo cada vez mais gente ao portal pelo sistema "boca a boca".

Em novembro do ano passado, a start-up recebeu 15 milhões de rublos (cerca de US$ 1,2 milhões) da Fundação Vesna Investiment. Os proprietários estimam que ôr a Looksima comece a dar lucro até o final do ano. De acordo com cálculos deles, o valor da empresa em 2015 estará entre os US$ 40 a US$ 100 milhões somente  na Rússia e na CEI (Comunidade dos Estados Independentes), ao mesmo tempo que a sua margem de negócio poderá chegar aos 80%.

Outros exemplos

Outra versão ampliada do e-commerce é a aquisição imediata de um conjunto de artigos. Empresas de cosmético e roupa íntima também comercializam pelo sistema de boxs, ou seja, de conjuntos prontos. Este formato chegou à Rússia vindo dos Estados Unidos e Canadá.

O know-how nacional foi dados pelos AistBox infantis de duas jovens mães, Anastassia Sizova e Natália Erókhina. Elas colocaram em prática a ideia de vender caixas com peças agradáveis e úteis para as crianças e as mães. No momento do cadastro no site, os pais indicam a data de nascimento, o sexo, o nome e a cor favorita da criança, para que o conteúdo das caixas "cresça" junto com ela. Cada novo conjunto é dedicado a um tema específico (por exemplo, um viagem ao campo ou artigos para natação) e inclui de quatro a seis itens, entre os quais está sempre um livro de cortesia para a mãe e um brinquedo para a criança.

Todo mês a caixa ganha seis novas variantes –desde produtos para recém-nascidos até artigos para crianças com sete anos. O cadastro para estas boxes, que incluem o serviço de entrega, custa 1.500 rublos (cerca de US$ 47) por um mês, 8.000 (cerca de US$ 150) para seis meses e 15 mil rublos (cerca de US$ 470) por ano. De acordo com Sizova, no ano e meio de sua existência, o serviço recebeu mais de 1.500 assinantes regulares, em grande parte devido à qualidade dos produtos. As donas do site têm um blog em que falam sobre os princípios de seleção dos artigos para as boxes, tendo em atenção a segurança ambiental e a disponibilidade de certificados dos fabricantes. A AistBox já pretende abrir seu laboratório para provas e verificações.

 

Publicado originalmente pelo RBC Daily

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.