Extremo Oriente tem o melhor clima de negócios na Rússia, aponta ranking

Região de Kamtchatka é uma das regiões que encabeça o ranking Foto: Ivan Deméntievski

Região de Kamtchatka é uma das regiões que encabeça o ranking Foto: Ivan Deméntievski

Apesar das frequentes inundações e afastamento da capital, região supera índices de investimento em Moscou e São Petersburgo.

Seis das nove regiões do Extremo Oriente russo (Amur, Sacalina, Kamchatka, Primórie, Khabarovsk e Iakútia) encabeçam a lista de regiões da Rússia com o melhor clima de negócios, de acordo com o projeto russo “Pulsar de Negócios”. Assim como o ranking Doing Business do Banco Mundial, a lista foi elaborada com base nos resultados de entrevistas com empresários. 

“O índice mede a facilidade de se fazer negócios em uma região e considera a opinião dos moradores locais”, explica o diretor da Fundação Opinião Pública (FOM), Aleksandr Oslon. A FOM conduziu o trabalho em parceria com a Agência de Iniciativas Estratégicas (AIS) e a agência de notícias ITAR -TASS.

Enquanto a proximidade com países dinâmicos, como a China, Coreia do Sul e Japão, foi apontada como fator de propulsão para o desenvolvimento do Extremo Oriente, Oslon atribui a colocação ruim de Moscou no ranking ao fato de os moscovitas gostarem de viajar. “Viajando pelo mundo afora, os moscovitas veem que há sempre algo melhor. Portanto, um morador da capital compara Moscou com Londres, por exemplo, e não com, digamos, Kostroma”, diz ele.

O diretor da AIS, Andrêi Nikítin também explica a diferença entre os dados do inquérito e a realidade pelo senso comum encrustado na sociedade. “As pessoas continuam pensando que a situação é ruim, apesar de muitas coisas já terem melhorado significativamente”, diz. Segundo ele, os dados coletados permitirão à sua agência trabalhar de forma mais eficaz para melhorar o ambiente de negócios nas diversas regiões do país.

 

Publicado originalmente peloRBC Daily 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.