Moedas russas do século 19 são leiloadas por US$ 4

No período de fabricação da moeda de 1827, poucos foram os exemplares que não conseguiram passar pelo processo de aprovação Foto: Press Photo

No período de fabricação da moeda de 1827, poucos foram os exemplares que não conseguiram passar pelo processo de aprovação Foto: Press Photo

Casa de leilões na Suíça estabeleceu novo recorde ao vender dois objetos de prata raríssimos. Especialista garante que local do evento também contribuiu para elevar o valor de venda.

Um novo recorde na história da numismática (estudo das moedas e das medalhas) na Rússia foi alcançado pela casa de leilões Sincona, em Zurique. Duas moedas de 25 copeques, fabricadas em 1808 e 1827 e não incluídas no lote destinado à livre circulação, foram arrematadas por quase 4 milhões de dólares.

Apesar de ambas as moedas serem consideradas raridades, a de 1827 é ainda mais valiosa, pois, na época da sua fabricação, poucos foram os exemplares que não conseguiram passar pelo processo de aprovação.

“Talvez a presente geração de colecionadores nunca tenha tido a chance de comprar um objeto como este”, diz Vadim Chiriaev, representante da Sincona. Na história dos leilões públicos, a moeda em questão apareceu apenas uma vez, em 1968.

Por outro lado, a realização do leilão em Zurique também contribuiu para o valor elevado da venda. “Os altos valores pagos pelos colecionadores europeus demonstram o seu nível mais elevado em comparação com os seus pares russos”, comenta Igor Lavruk, diretor da empresa numismática moscovita Moedas e Medalhas. “Se as elas fossem vendidas em um leilão na Rússia, os preços seriam menores”, garante ele.

A moeda mais cara vendida na Rússia foi um rublo datado de 1730, em outubro de 2007. Na época, o objeto custou o equivalente a US$ 650 mil dólares.

 

Publicado originalmente pelo Kommersant

 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.