Ministério da Agricultura planeja concessão de US$ 7,6 bi em subsídios anuais

Comparativamente, o novo investimento será quase o dobro do gasto em 2012 Foto: ITAR-TASS

Comparativamente, o novo investimento será quase o dobro do gasto em 2012 Foto: ITAR-TASS

O ministro da Agricultura, Nikolai Fiódorov, está prometendo aumentar o apoio do governo para a agricultura. Tarifas de importação mais baixas, implementadas após a entrada da Rússia na OMC em agosto de 2012, reduziram as receitas do setor.

Fiódorov disse à agência Interfax nesta segunda-feira (9) que os subsídios e outros tipos de apoio iria crescer para 250 bilhões de rublos (US$ 7,6 bilhões) anualmente ao longo dos próximos anos.

O valor é relativamente mais alto se comparado aos 179 milhões de rublos (US$ 5,4 milhões) que o governo está alocando para os agronegócios este ano. “Comparativamente, esse novo índice é quase o dobro do gasto no ano passado”, disse ele.

Fiódorov comentou ainda sobre uma viagem para uma fazenda de agricultura de estufa na aldeia de Trubatchiovo, na região de Tomsk, uma instalação cujo o financiamento para construção foi quase todo vindo a partir do orçamento regional.

A promessa de maior financiamento estatal pode enfrentar um obstáculo, no entanto. Ela vem dias depois de o presidente Vladímir Pútin admitir que o governo teria que apertar o cinto em meio a uma desaceleração da economia interna.

Por outro lado, o Conselho da Federação (câmara alta do Parlamento russo) disse no início do mês que tentaria controlar as contas para aumentar os subsídios estatais à agricultura.

As tarifas de importação mais baixas implementadas após a entrada da Rússia na OMC em agosto de 2012 reduziram as receitas do setor, especialmente para produtores de carne de porco e laticínios.

O Ministério da Agricultura também estima que as enchentes no Extremo Oriente russo causaram danos no valor de US$ 250 milhões para os negócios agrícolas da região.

Culturas que cobrem 390 mil hectares foram destruídos pelas semanas de exposição à umidade excessiva. Os agricultores tinham seguro para apenas uma parcela das culturas afetadas.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow Times

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.