Governo intercedeu a favor da Lukoil junto ao Iraque

custo de produção de petróleo no Iraque é um dos mais baixos do mundo Foto: Flickr/Mondayne

custo de produção de petróleo no Iraque é um dos mais baixos do mundo Foto: Flickr/Mondayne

Ministérios dos Negócios Estrangeiros e da Energia comunicaram ao primeiro-ministro iraquiano o interesse da Lukoil pelo campo de petróleo de Kirkuk.

A agência de notícias Iraqi News informou que o primeiro-ministro do Iraque, Nouri al-Maliki, recebeu uma comunicação do governo da Rússia sobre o interesse da Lukoil, maior companhia privada de petróleo da Rússia, no campo de petróleo de Kirkuk. “O governo russo enviou uma mensagem ao primeiro-ministro Nuri al-Maliki, dizendo que a Lukoil está interessada em Kirkuk”, comunicou a agência, sem dar detalhes sobre a possível negociação.

A mensagem foi confirmada por Alia Samigullina, porta-voz do vice-primeiro-ministro russo Arkádi Dvorkovitch. “A iniciativa foi tomada pelos ministérios da Energia e dos Negócios Estrangeiros. Na mensagem foram reforçados os interesses de diversas empresas, incluindo a Lukoil”, disse Samigullina ao jornal “Vedomosti”.

Em abril, o presidente da Lukoil, Vaguit Alekperov, informou que a petrolífera havia proposto ao governo do Iraque processar petróleo em sua refinaria ISAB, na Sicília. A Lukoil se tornou sócia da ISAB em 2008, estabelecendo uma joint venture com a italiana ERG. Depois de comprar 49% da joint venture por 1,83 bilhão de dólares, a empresa russa aumentou a sua participação para 80%. A capacidade dessa refinaria é de 16 milhões de toneladas por ano.

“No Iraque há uma escassez de produtos derivados do petróleo. Oferecemos uma participação em nossa refinaria; se recebermos petróleo, podemos retornar derivados ao país”, declarou Alekperov. Mas, de segundo ele, “o Iraque está por enquanto inclinado a construir a sua própria refinaria”. O custo de produção de petróleo no Iraque é um dos mais baixos do mundo (cerca de 2 dólares por barril), enquanto na Rússia esse valor varia entre 3 e 7 dólares.

O campo de Kirkuk, com cerca de 2,2 bilhões de toneladas de reservas, está sendo atualmente explorado pela Empresa Estatal de Petróleo do Norte do Iraque, sob supervisão do Ministério do Petróleo. “Mas estão sendo realizadas negociações com a BP, para que os britânicos ajudem a aumentar a produção do campo dos atuais 260 mil para 600 mil barris por dia”, diz o analista da IFC “Solid”, Arthur Akhmetov.

Se não for assinado o contrato com a BP, os volumes atuais de produção do campo serão suficientes para atender 80% da capacidade da empresa. “O petróleo deve chegar à refinaria com um desconto de 15 a 20% em relação ao preço de mercado. Nesse caso, será possível obter uma rentabilidade de 10 a 15 dólares por barril, fazendo com que a empresa tenha lucro”, acrescenta o analista.

O diretor técnico da ISAB, Oleg Vedernikov, já havia dito ao “Izvéstia” que a rentabilidade atual da refinaria siciliana está próxima de zero, embora esse indicador fosse de 12 dólares por barril quando a Lukoil estava concluindo a sua compra. A Lukoil planeja otimizar a capacidade da refinaria e desistir de alguns dos reservatórios, para que a empresa alcance a rentabilidade de 5 dólares por barril, informou Vedernikov.

 

Publicado originalmente pelo Vedomosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.