Baixa demanda limita crescimento econômico da Rússia em 2013

Falta de suporte do governo é citado pelos empresários como um dos impeditivos para crescimento Foto: Getty Images/Fotobank

Falta de suporte do governo é citado pelos empresários como um dos impeditivos para crescimento Foto: Getty Images/Fotobank

Principais indicadores da indústria russa não sugerem que país está no caminho de uma recuperação no segundo semestre do ano.

Baixa demanda por bens industriais continua a ser o principal desafio para as empresas russas, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Gaidar. A pesquisa mostrou que em julho a demanda esteve em seu nível mais baixo dos últimos doze meses.

Consequentemente, as empresas não são estimuladas a investir e expandir a sua produção, o que compromete as esperanças do governo de que a economia russa vai ter um impulso industrial no segundo semestre deste ano.

O autor do Instituto Gaidar, Serguêi Tsukhlo, disse que a economia vai continuar estagnada devido à falta de instituições ​​que poderiam ajudar as pequenas e médias empresas a se tornarem um motor para o crescimento.
Além do subdesenvolvimento institucional, 40% dos industrialistas entrevistados citaram a falta de previsibilidade do desenvolvimento político como uma das razões pelas quais estão relutantes em se expandir.

Serguêi Pukhov, que dirige o Centro para Desenvolvimento na Escola Superior de Economia, citou os processos recentes contra o líder da oposição Aleksêi Naválni como fatores que minam a confiança dos empresários sobre o apoio do governo.

Naválni foi condenado a cinco anos de prisão por um tribunal de Kirov sob acusação de fraude. Porém, diversos observadores classificaram tais transações como “prática comum do mercado”.

O diretor do Centro de Pesquisa de Mercado no HSE, Gueórgui Ostapkovitch, disse que o governo pode tentar melhorar o ambiente de negócios, aumentando o investimento em setores de valor elevado, como manufatura, ou reduzindo as taxas de juros.

A economia da Rússia cresceu a um ritmo mais lento do que o esperado no segundo trimestre de 2013, a uma taxa anual de 1,9% entre abril e junho. O presidente Vladímir Pútin citou várias vezes o índice de 5% de crescimento anual como um pré-requisito para a Rússia atender às demandas do seu setor social e modernizar a economia nacional.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow Times

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.