Governo dará subsídio para incentivar construções habitacionais

Plano do governo terá ênfase em regiões da na Sibéria e do Extremo Oriente russo Foto: Kommersant

Plano do governo terá ênfase em regiões da na Sibéria e do Extremo Oriente russo Foto: Kommersant

Metade das regiões russas não vão cumprir as metas de construção de moradia devido à falta de materiais.

A Rússia precisa de mais de 20 novas fábricas de cimento, mas as empresas se recusam a construir novas fábricas por causa da falta de potencial de investimento.

“É melhor modernizar instalações existentes”, disse Mikhail Skorokhod, presidente do grupo Euro Cement, que abriu uma nova fábrica de cimento estimada em 395 milhões de euros na cidade de Voronej, em novembro do ano passado.

“O país também precisa de mais de 30 empresas para a produção de materiais não metálicos e 15 para materiais de isolamento, enquanto cerca de 200 fábricas de cimento existentes precisam ser reconstruídos”, afirmou Serguêi Vakhrukov, vice-ministro do Desenvolvimento Regional.

Vakhrukov informou que o ministério está tentando estimular a produção com ênfase particular na Sibéria e no Extremo Oriente, onde o Estado irá disponibilizar subsídios sobre as taxas de juros, reduções de impostos e outras garantias.

Em 2012, 65,7 milhões de metros quadrados de novas moradias foram construídas em comparação aos 62,3 milhões em 2011, de acordo com o Serviço Federal de Estatística.

As autoridades planejam que seja construído pelo menos 1 metro habitação por pessoa a cada ano. Em 2012, 0,98 metros quadrados por pessoa foram construídos em Moscou, que apresentou o melhor índice em todo o país, em comparação com 0,8 metros quadrados na região de Krasnodar.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow Times

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.