Moscou é a segunda cidade mais cara para residentes estrangeiros

Vista para Moscou do restaurante "White Rabbit" Foto: PressPhoto

Vista para Moscou do restaurante "White Rabbit" Foto: PressPhoto

Novo estudo publicado pela consultoria Mercer na terça-feira passada (23) constatou que passar uma temporada na principal cidade russa só não é mais caro do que em Luanda, capital da Angola. Tóquio ficou em terceiro lugar.

Moscou, que ocupava o quarto lugar no ranking da Mercer há três anos, subiu à segunda posição, perdendo apenas para a capital da Angola, Luanda. Entre as dez cidades mais caras do mundo, estão ainda Tóquio, N’Djamena (capital do Chade), Singapura, Hong Kong, Genebra, Zurique, Berna e Sydney.

A pesquisa avaliou os preços de artigos e serviços, como transporte, alimentação, vestuário, artigos domésticos, lazer e moradia, em 214 cidades do mundo.

Os dados apresentados servirão como um instrumento de orientação para os administradores de empresas internacionais, quando tiverem de enviar seus funcionários a outras cidades ou países.

O alto custo de estadia em Moscou se deve, sobretudo, aos elevados preços de aluguéis. Se uma empresa tiver que alugar um apartamento não mobilado de duas quartos, terá que arcar com o custo médio de US$ 4,6 mil por mês. Os alimentos importados que os estrangeiros costumam comprar nos mercados de Moscou também exercem grande influência no orçamento mensal.

 

Publicado originalmente pela agência RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.