Verde gera verde

Empresas russas visam lucros com a implementação de “tecnologias verdes” Foto: PhotoXPress

Empresas russas visam lucros com a implementação de “tecnologias verdes” Foto: PhotoXPress

Gazeta Russa listou as cinco melhores iniciativas ecológicas que ajudam as empresas russas a não só economizar, mas também ganhar dinheiro.

As empresas russas estão gradualmente seguindo os padrões ecológicos internacionais. De um lado, são forçadas pela concorrência no mercado ocidental, e do outro sentem a pressão do Estado. Recentemente, as autoridades russas estipularam benefícios para os fornecedores que mantêm programas voltados ao meio ambiente.

A partir de 15 de agosto, as empresas deverão atender a “exigências ecológicas” caso desejem participar de licitações públicas. A instrução referente aos fornecedores que trabalham dentro das normas ecológicas internacionais foi repassada pelo primeiro-ministro Dmítri Medvedev.

Porém, em 2012, já havia sido aprovado um pacote de iniciativas ambientais, intitulado “Fundamentos da Política Ecológica da Rússia até 2030”. Por meio do documento elaborado pelo Ministério dos Recursos Naturais e Meio Ambiente, o governo quer incentivar as empresas russas a adotar “tecnologias verdes”.

Para as empresas que poluem o meio ambiente, por exemplo, serão oferecidas novas soluções tecnológicas com base na experiência internacional, e o controle do volume de resíduos será transferido diretamente para as entidades regionais.

As próprias empresas estão interessadas ​​na implementação dessas tecnologias, sobretudo para fazer frente aos concorrentes globais, que há muito tempo assumiram padrões ecológicos.

Para entender o sucesso do processo de “ecologização” dos negócios na Rússia, a Gazeta Russa fez uma classificação das cinco iniciativas ecológicas mais importantes. Nela foram incluídas as empresas que estão implementando normas ecológicas em seus negócios, bem como aquelas que aprenderam a lucrar com tais iniciativas: 

1. Lixo

Quando a Europa já tinha adotado massivamente a coleta seletiva de lixo, os russos só começavam a pensar no assunto. O governo tem se limitado às promessas de implementar um programa similar e geralmente espera obter resultados por meio iniciativas individuais. Para tanto, instalou latas de lixo diferentes para separar o lixo no aeroporto Vnúkovo, em Moscou, entre outras medidas.

Porém, muitos empresários decidiram tomar as rédeas da situação. A empresa “Sfera ecológui”, por exemplo, oferece serviços de coleta de resíduos seletivos em escritórios. “Nosso principal objetivo é concretizar a ideia de uma gestão eficaz de resíduos com base em condições econômicas, legais e sociais”, garantem os funcionários da empresa. Embora os clientes da “Sfera ecológui” sejam basicamente escritórios russos de empresas estrangeiras (BBC, Greenpeace, WWF, Microsoft, Intel, embaixada Reino Unido, rede de hotéis Marriott etc), ainda há esperança de incutir a cultura de tratamento de resíduos em clientes russos.

2. Euro-5

A transição para as normas internacionais que controlam o limite de poluentes na gasolina também está em defasagem na Rússia. O país só migrará oficialmente para o nível Euro-4 do Padrão Europeu de Emissões a partir de 2014. Porém, as condições de concorrência no mercado são tais que as empresas petrolíferas russas não podem se permitir ficar para trás e, por isso apressam-se para introduzir o Euro-5, independentemente da opinião do Estado. Na vanguarda da produção estão os líderes do setor: Lukoil, Gazprom e Rosneft.

3. Construções ecológicos

Nos dois últimos anos, surgiu uma nova tendência no mercado russo: oferecer “casas verdes” para os clientes, construídas exclusivamente com materiais naturais. O preço dessas casas costumam ficar 10% acima do valor de uma obra normal. Mesmo, segundo o diretor de desenvolvimento da empresa de construção “Good Wood”, Aleksandr Dubovenko, o projeto ainda não é muito popular entre as construtoras. “O número de clientes dispostos a pagar mais por um item ambiental cresce lentamente”, explica Dubovenko.

4. Economia energética

Cada vez mais empresas russas estão interessadas na conservação de energia. Algumas particularidades geográficas impedem a utilização de energia solar na maior parte das regiões da Rússia. “As células solares como fonte de energia alternativa para o nosso clima não são muito eficazes”, diz a consultora em inovação ambiental da empresa Jones Lang LaSalle, Ksênia Agápova.  

Em contrapartida, cresce a popularidade das lâmpadas que economizam energia. “A economia depende do projeto e do nível de iluminação”, diz Serguêi Kobozev, diretor comercial da empresa russa Trinova, dedicada ao fornecimento de lâmpadas economizadoras de energia. De acordo com Kobozev, a empresa pode economizar entre 30% e 70% ao utilizar um sistema moderno de controle de iluminação. O retorno do investimento é de dois a cinco anos. 

5. Escritório verde

O cuidado com o meio ambiente não é apenas uma maneira de economizar dinheiro, mas sobretudo um aspecto que trabalha a favor da imagem da empresa. Para ingressar no programa do Greenpeace “Zelióni ofis”, basta declarar a implementação de medidas como, por exemplo, utilizar papel reciclado, suspender o uso de  louça de plástico, fazer coleta seletiva de lixo e criar jardins nos espaços do escritório. “Economizamos energia graças a um sensor automático de luz, utilizamos papel ecológico e recolhermos os cestos de papéis”, enumera a representante do grupo Magnezit, Tatiana Gumeniúk. 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.