Chegada de gigantes como eBay na Rússia mostra força do mercado online no país

Em abril deste ano, o maior site de leilão de internet do mundo, o eBay, tornou-se acessível em russo, chegada acompanhada de uma campanha de publicidade na TV Foto: Kommersant

Em abril deste ano, o maior site de leilão de internet do mundo, o eBay, tornou-se acessível em russo, chegada acompanhada de uma campanha de publicidade na TV Foto: Kommersant

País está experimentando uma verdadeira explosão no comércio de internet; segundo especialistas, tendência se manterá nos próximos anos.

Lojas de internet ocidentais estão conquistando cada vez mais o mercado russo. Em abril deste ano, o maior site de leilão de internet do mundo, o eBay, tornou-se acessível em russo, chegada acompanhada de uma campanha de publicidade na TV.

Segundo uma fonte da empresa, trata-se de uma evidência de uma estratégia planejada para conquistar o mercado do país.

O rápido crescimento de popularidade das lojas online do exterior, com seus preços atraentes e uma gama muito variada de produtos, na Rússia são confirmados pela agência Data Insight.

De acordo com avaliação da empresa, em 2012, os russos realizaram entre 5 e 8 milhões de compras para uso pessoal fora das fronteiras, no valor aproximado de 45 bilhões de rublos (o que corresponde a 16% do volume de vendas de bens tangíveis), enquanto o aumento do volume de compras foi de cerca de 50% em comparação com o ano anterior.

Em maio deste ano, a Rússia também deu mais um passo na direção dos comerciantes estrangeiros online. O serviço de pagamentos mais popular do país, o Yandex.Money, fez um acordo de parceria com o provedor britânico de pagamentos online Skrill. De acordo com a secretária de imprensa de Yandex.Money, Asia Melkumóva, a empresa Skrill simplificará o processo de conexão de lojas estrangeiras com o Yandex.Money e o trabalho com o público russo.

“Além disso, uma loja estrangeira poderá promover seus produtos ou serviços na Rússia através dos canais do Yandex. Outro ponto importante: as lojas online não precisarão fazer acordos separados com o Yandex e não terão que gastar recursos para processar os registros de pagamento e promover a integração de cadastros”, disse a secretária.

“Para facilitar um crescimento vigoroso do comércio eletrônico, é preciso que continuem as melhorias para a penetração do acesso à internet de banda larga em todas as regiões, o desenvolvimento de infraestrutura do comércio eletrônico, aumento de investimentos pelo governo e empresas privadas em tecnologias da informação, bem como uma oportuna modificação da legislação para promover o uso da internet por pessoas físicas e jurídicas”

Como resultado, todos saem ganhando: os comerciantes online estrangeiros e os compradores russos, que poderão pagar suas compras com conforto. As lojas estrangeiras nem sempre aceitam os cartões de pagamento de bancos russos. Agora, a parceria entre Yandex.Money e Skrill garante o processamento de pagamentos tanto para as lojas quanto para os compradores.

Expansão

As etapas acima são os exemplos mais marcantes não só da expansão dos serviços de compras e pagamentos online no exterior, mas também de um desenvolvimento bastante ativo do mercado de comércio eletrônico na Rússia como um todo.

Segundo a empresa J'son & Partners Consulting, entre 2008 e 2012, o mercado russo de comércio eletrônico teve crescimento médio anual de 29%, superando o aumento dos países ocidentais. O comércio eletrônico nos Estados Unidos, por exemplo, cresceu em 30% somente em dois anos –2011 e 2012.

A previsão é de que o boom russo continue: de acordo com as previsões de J'son & Partners Consulting, entre 2013 e 2017, a taxa de crescimento médio anual do comércio eletrônico ficará no patamar de 10% a 15%, atingindo como resultado um volume de 3,7 trilhões de rublos.

No entanto, a Rússia ainda tem de se esforçar: a relação entre o comércio eletrônico com o volume total de comércio é de cerca de 2% no país, enquanto que a dos líderes –Reino Unido e Estados Unidos– é maior do que 10%.

“O crescimento agressivo do comércio eletrônico na Rússia tem sido impulsionado pelo aumento constante do nível de penetração da internet banda larga no país, bem como em decorrência dos preços atrativos de lojas online”, disse o sócio e diretor executivo do Boston Consulting Group na Rússia, Bart Banke.

De acordo com o especialista, o desenvolvimento do comércio eletrônico na Rússia é positivamente influenciado pelo surgimento de novos modelos de logística de menor custo, bem como por um aumento do número de opções de pagamento.

Conforme previsão dos especialistas de J'son & Partners Consulting, os volumes de vendas em lojas online, que são os propulsores do crescimento do comércio eletrônico na Rússia, crescerão dos atuais 400 bilhões de rublos para 930 bilhões rublos.

Segundo previsões, o número de compradores de lojas online deverá superar 26 milhões de pessoas até 2017, e a demanda maior de produtos vendidos pela internet será de eletroeletrônicos de uso doméstico, vestuário e calçados, bem como materiais de mídia. Também será mantido o crescente interesse dos russos para as compras em lojas de internet estrangeiras.

Pagamento

Uma das principais características da Rússia é o uso extensivo de sistemas de pagamento eletrônico em lojas de internet e de serviços diversos. Como mencionado, isso se deve às dificuldades muitas vezes enfrentadas por clientes do país ao tentar pagar a compra com  cartão. Atualmente, 60% dos pagamentos de mercadorias compradas em lojas online são processados por sistemas de pagamento eletrônico; para o ano de 2017, essa cota será reduzida para 49%, mas continuará sendo bastante elevada.

Será a Rússia capaz de alcançar os países líderes em termos de comércio eletrônico? De acordo com Banke, para a realização de planos tão ambiciosos, é necessário que se coordene uma abordagem de todos os principais jogadores: consumidores, empresas e o governo.

“Para facilitar um crescimento vigoroso do comércio eletrônico, é preciso que continuem as melhorias para a penetração do acesso à internet de banda larga em todas as regiões, o desenvolvimento de infraestrutura do comércio eletrônico, aumento de investimentos pelo governo e empresas privadas em tecnologias da informação, bem como uma oportuna modificação da legislação para promover o uso da internet por pessoas físicas e jurídicas”, acredita Banke.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.