Setor de serviços de São Petersburgo se prepara para início do Fórum Econômico

De acordo com a avaliação da Organização Mundial de Turismo, São Petersburgo ocupa o oitavo lugar na classificação das cidades mais atraentes para o turismo Foto: Slava Stepanov

De acordo com a avaliação da Organização Mundial de Turismo, São Petersburgo ocupa o oitavo lugar na classificação das cidades mais atraentes para o turismo Foto: Slava Stepanov

Neste ano, o fórum reunirá mais de 5.000 mil convidados de 60 países.

As estatísticas de anos anteriores mostram que cada dólar gasto pelos organizadores do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo (este ano ele será realizado entre 20 e 22 de junho) gera aproximadamente de US$ 5 a US$ 7 para o setor de serviços da cidade.

Como regra geral, passando de três a quatro dias na capital do norte, os participantes e convidados do fórum gastam diariamente três a cinco vezes mais do que os turistas médios comuns. De acordo com várias estimativas, os gastos médios adicionais de turistas do congresso em compras e entretenimento variam de US$ 200 a US$ 500 por dia.

A propósito, em 2013, o custo da participação no fórum cresceu 1,5 vezes: o pacote premium (terminado o período da reserva antecipada) saía por US$ 5.637 em 2012, mas agora já está sendo vendido a US$ 9.396 por pessoa.

O aumento, no entanto, não refletiu no número de interessados: neste ano, o fórum reunirá mais de 5.000 mil convidados de 60 países.

Conforto por um preço excessivo

Hoje, há 458 hotéis em São Petersburgo, de acordo com os dados do www.booking.com, dos quais 13 são de categoria cinco estrelas. Outros 48 ostentam quatro estrelas.

A prática mundial prova que durante eventos de grande escala os preços começam a subir e, caso a demanda exceda a oferta, eles crescem vertiginosamente. São Petersburgo não é exceção.

No período da realização do fórum, as tarifas dos hotéis sobem de 200% a 400%. Apesar disso, a uma semana do início da edição deste ano, praticamente não se encontram mais vagas nos hotéis da cidade.

A maioria foi totalmente reservada para  com alguns meses de antecedência. Além disso, muitos hotéis nem mesmo alugam quartos por dia, mas oferecem pacotes para 4 noites, de 19 a 23 de junho, com o pagamento obrigatório integral no prazo de 5 a 7 dias e uma multa caso a reserva seja cancelada.

O Sokos Vassiliévski, por exemplo, de 4 estrelas, oferece no período do fórum a diária de um quarto standard por 39 mil rublos. O de luxo sai por 41 mil. Uma semana após a realização do evento, dia 30 de junho,  a taxa cai para 10 mil e 14 mil rublos, respectivamente.

Em 2008, alguns convidados de alto escalão apresentaram queixa contra a associação de hoteleiros para Valentina Matvienko, prefeita da cidade na época. A inspeção do FAS (Serviço Federal Antimonopólio) durou dois anos, porém não foram encontrados violações de determinações antimonopólio.

De acordo com a gerente geral do Golden Garden Boutique Hotel, Tamara Chernikh, atualmente não há escassez de hotéis em São Petersburgo, mas não existe espaço suficiente se considerarmos o potencial de turistas que a cidade é capaz de receber.

“De acordo com a avaliação da Organização Mundial de Turismo, São Petersburgo ocupa o oitavo lugar na classificação das cidades mais atraentes para o turismo. Porém, ela hoje não consegue acolher a grande quantidade de turistas, até mesmo devido aos limites da capacidade de transferência do aeroporto local. Assim que esta for ampliada, o número de lugares nos hotéis passará a ser insuficiente”,  apontou Chernikh em entrevista para a “Ros Business Consulting”.

Comer e beber

Segundo Leonid Garbara, o diretor geral de um grupo de restaurantes, durante o fórum, o número de consumidores aumenta em 10% a 12%, e o valor médio gasto cresce em 25% a 30%.

É verdade que os donos de restaurantes e hotéis se queixam que a maioria das atividades em São Petersburgo são realizadas na alta temporada, em maio e junho, período das “noites brancas”, quando há turistas em número suficiente até mesmo sem contar com os fóruns, e a taxa de ocupação dos hotéis e restaurantes aproxima-se de 100%.

“É necessário distribuir uniformemente os eventos ao longo do ano”, disse Garbara ao jornal “Védomosti”.

Novo endereço

O efeito econômico do fórum manifesta-se em pelo menos mais um grande projeto. De acordo com os organizadores, o fórum cresceu tanto nos últimos 17 anos, que a demanda para a participação no evento já excedeu significativamente a capacidade do Lenexpo Exhibition Complex.

Por esta razão, na cidade de Pushkin, a 15 km de São Petersburgo, está sendo concluída a construção de um novo centro de exposições, o ExpoForum. O preço do projeto ficou em US$ 1 bilhão. A empresa incumbida de sua construção é  controlada pela Gazprom.

O centro de exposições incluirá 140 mil m2 de área para exposições ao ar livre e também de área coberta, um centro de conferências para 7.000 pessoas, dois hotéis de luxo e um centro de negócios. Com a mudança para o novo local, o fórum será capaz de receber um número maior de convidados, o que mais uma vez será lucrativo para a cidade.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.