Rússia busca investimento privado para construção de porto em Taman

O custo total do porto, de acordo com o Programa de Metas, está avaliado em 228 bilhões de rublos Foto: Mikhail Mokruchin / RIA Nóvosti

O custo total do porto, de acordo com o Programa de Metas, está avaliado em 228 bilhões de rublos Foto: Mikhail Mokruchin / RIA Nóvosti

Porto se tornará o terceiro maior da Rússia. Investimentos atingirão 228 bilhões, dois terços vindos da iniciativa privada.

Um relatório recente da Rosmoport, órgão estatal responsável por dirigir e desenvolver a infraestrutura portuária russa, trouxe informações sobre os planos para a atração de recursos privados para o projeto de construção do novo porto de Taman (Território de Krasnodar).

O projeto está atualmente sendo submetido à avaliação do governo. A empresa RMP Taman (hoje 100% nas mãos da Rosmorport, mas que terá uma fatia de 25% para a região de Krasnodar) já começou a comprar os terrenos.

A empresa afirma que vai realizar uma seleção dos investidores privados e arrendar-lhes os terrenos para a construção e a operação da infraestrutura.

Consta da última edição do Programa de Metas Federais para o transporte russo que 76 bilhões de rublos foram destinados ao projeto. A questão é que somente para a construção das instalações do novo porto, de propriedade federal, serão necessários 115,5 bilhões de rublos.

O custo total do porto, de acordo com o Programa de Metas, está avaliado em 228 bilhões de rublos. Ele deve começar a funcionar em 2018 e planeja-se que, até 2020, a circulação de carga transportada ali alcançará o nível de mais de 90 milhões de toneladas ao ano.

O governo espera cobrir essa diferença por conta da transferência da infraestrutura em concessões aos investidores privados. A lista final das instalações ainda não foi determinada, mas poderia incluir a engenharia de redes, atracadouros e o canal de aproximação. O investidor poderá recuperar os investimentos alugando os atracadouros, através da cobrança de taxa especial (canal de aproximação) e de contas dos serviços públicos (engenharia de rede).

Entre os potenciais investidores estão as empresas UCL Holding, Global Ports, Suek, Metalloinvest, Kuzbassrazrezugol, Eurochem, Basic Element e Uralkali.

Questão antiga

A questão das fontes de recursos para a construção das instalações do porto foi levantada repetidas vezes, destaca uma fonte do “Kommersant” familiarizada com a situação.

"Já há alguns anos, os investidores chave diziam que financiariam os terminais, se existisse a infraestrutura, mas ninguém queria investir nela. Havia sido decidido que o governo construiria as instalações por conta própria, mas agora acabaram chegando a um déficit orçamentário", explica a fonte.

A UCL Holding, de Vladímir Lisin, queria obter participação na RMP Taman, mas o Ministério dos Transportes decidiu que os construtores dos terminais devem estar separados da companhia gestora.

Atualmente já funciona em Taman um porto marítimo na região do cabo Chifre de Ferro, no povoado de Volna, próximo a aldeia Taman, distrito Temriuk.

O porto está envolvido no transporte de petróleo bruto e produtos petrolíferos, de gases liquefeitos de hidrocarbonetos, amoníaco e grãos para exportação. No entanto, a sua circulação de carga transportada é dezenas de vezes menor do que o necessário, de 2,2 milhões de toneladas em 2012.

 

Publicado originalmente pelo jornal Kommersant

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.