Bancos russos registram aumento de depósitos em conta corrente em abril

Crise cipriota pode ter colaborado para afluxo extra de 100 bilhões de rublos em relação ao semestre anterior, afirma especialista Foto: AP

Crise cipriota pode ter colaborado para afluxo extra de 100 bilhões de rublos em relação ao semestre anterior, afirma especialista Foto: AP

Tendência dos últimos três anos é a de o aumento nas contas correntes em abril ser, em média, 2,5 vezes superior ao registrado nos seis meses anteriores. Neste ano, porém, o crescimento foi de 9% ante 1,9% no semestre anterior.

Ao analisar os relatórios de execução financeira dos bancos em abril deste ano, Dmítri Mirochnichenko, funcionário do Centro para o Desenvolvimento da Escola Superior de Economia, descobriu um afluxo anormalmente alto de fundos em conta corrente.

Normalmente, em abril, a quantidade de dinheiro mantido pela população nos bancos tende a aumentar devido ao pagamento dos bônus referentes ao ano anterior e parte de salários referentes ao mês de maio diante dos feriados prolongados, mas um afluxo tão grande nunca tinha sido registrado antes.

A tendência dos últimos três anos é a de o aumento nas contas correntes em abril ser, em média, 2,5 vezes superior ao registrado nos seis meses anteriores. Neste ano, porém, o crescimento foi quase cinco vezes superior: 9% ante 1,9% nos seis meses anteriores. Isso rendeu ao bancos 100 bilhões de rublos extra, afirma Mirochnichenko.

Um aumento repentino nas contas foi provocado não só pelos montantes recordes de bônus pagos, adianta Mirochnichenko.

“Aparentemente, foi difícil criar em pouco tempo novos esquemas em territórios alternativos ao Chipre. Portanto, foi decidido pagar o devido aqui e agora”, disse o especialista.

Entre outras razões, Mirochnichenko cita a possibilidade de alguns servidores públicos terem decido transferir parte de seus capitais para a Rússia. Quase metade dos fundos extras foram depositadas no Sberbank (Banco de Poupança), pouco mais de um terço no Raiffeisenbank e no Banco São Petersburgo e cerca de um décimo no Alfa-Bank e Gazprombank, afirma Mirochnichenko.

Os bancos acima mencionados representam quase toda a gama do sistema bancário russo.

Leia mais sobre o assunto

“Apenas uma coisa pode liga-los: as mudanças no cenário internacional. Melhor dizendo, nas zonas ‘offshore’”, acredita o especialista.

“Se o dinheiro permanecerá depositado nos bancos russos na Rússia, saberemos pelas estatísticas dos próximos dois meses. A saída desses capitais pode acontecer a qualquer momento”, completa Mirochnichenko.

Bancos

A assessoria de imprensa do Sberbank atribui o aumento nas contas de depósito no final de abril ao pagamento de bônus, pensões, salários e bolsas de estudo às vésperas dos feriados prolongados de maio.

“Esse aumento é um caso isolado”, disse a primeira vice-presidente do Gazprombank, Ekaterina Trofimova.

"Um aumento nas contas de depósito de pessoas físicas pode ter tido como causa a situação no Chipre. No entanto, não estamos inclinados a considerar esse fato como decisivo”, disse o chefe-adjunto da Direção do  Raiffeisenbank, Leonid Katchalov, através da assessoria de imprensa da instituição.

Os bônus anuais são transferidos para as contas escolhidas pelos altos executivos. Na maioria dos casos, essas contas se encontram em outras jurisdições.

"O bônus anual é pago em abril, depois de as empresas fazerem o balanço de sua execução financeira no ano anterior. Este ano, a maioria dos altos executivos não transferiu seu dinheiro para outras jurisdições nem para o Chipre”, disse um funcionário de uma empresa pública.

Ele não sabe qual foi o motivo disso, mas sugere que a situação no Chipre e na Suíça em termos de sigilo bancário influenciou, em grande medida, a escolha dos altos executivos. 

 

Publicado originalmente pelo Vedomosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.