Leilão de complexo histórico de São Petersburgo é estimado em US$ 400 milhões

Faturamento do hotel Taleon Imperial poderá alcançar US$ 8,9 mi Foto: Lori \ Legion Media

Faturamento do hotel Taleon Imperial poderá alcançar US$ 8,9 mi Foto: Lori \ Legion Media

Estrutura dos séculos 18 e 19 que engloba o hotel Taleon Imperial e seus centros de convenção será a maior transação já concretizada no mercado hoteleiro russo.

A Casa de Leilões da Rússia (RAD, na sigla em russo) estabeleceu as condições de venda do complexo constituído por três monumentos arquitetônicos localizados no "Triângulo de Ouro", em São Petersburgo, perto da praça do Palácio. O grupo Taleon, que pertence majoritariamente ao empresário Aleksandr Ebralidze, investiu cerca de € 500 milhões na reconstrução do complexo. Porém, desde 2008, parte das instalações estão hipotecadas como garantia de empréstimos concedidos pelo Sberbank e pelo Banco de São Petersburgo, e agora os investidores têm esperança de resgatar pelo menos a metade do montante gasto.

O leilão para a venda do complexo Taleon, juntamente com a área do terreno, será realizado no próximo dia 3, informou a assessoria de imprensa da RAD. O espaço abrange uma área total de 24 mil m² e inclui três edifícios (um hotel de luxo, um centro de convenções e um instituto de bem-estar) construídos nos séculos 18 e 19, e localizados ao longo da avenida Nevski e à margem do rio Moika.

O comunicado da RAD aponta que o leilão será realizado no esquema holandês, o que implica menor custo inicial, e o preço de corte consistirá em um montante de 9,5 bilhões de rublos (cerca de US $ 316,6 milhões). Um dos responsáveis pelo evento adiantou que já existem candidatos para a aquisição, mas não deu mais detalhes.

O complexo Taleon era um antigo palácio que pertencia a Nikolai Chicherin, comandante da polícia da cidade, com duas casas que foram construídas posteriormente no terreno e ligadas a ele, e que, mais tarde, pertenceram à família dos comerciantes Eliseev. Em 1919, o imóvel sediava a Casa das Artes, onde se apresentaram Aleksandr Blok e Vladímir Maiakóvski. O espaço do hotel Taleon Imperial também é conhecido por ter abrigado um dos maiores cassinos da cidade, antes da proibição de negócios envolvendo jogos de azar.

Após a reconstrução iniciada pelo grupo Taleon em 1993, os edifícios do complexo foram unificados. Atualmente, existem 89 quartos no hotel, mas, após a expansão prevista para o final do ano, a sua capacidade irá aumentar para 120. "Os custos da restauração e ampliação do hotel não são divulgados oficialmente, porém, acredita-se que esse montante pode exceder os US$ 150 milhões", avalia o sócio-diretor da Blackwood, Konstantin Kovalev. Em 2011, o principal dirigente do Taleon, Aleksandr Ebralidze disse em uma entrevista ao jornal “Cidade 812” que foram gastos no complexo € 20 mil por m².

"O Taleon é uma estrutura interessante, mas muito cara e específica. Por isso, será difícil vendê-lo, mesmo se atendo à menor margem de preço", diz Nikolai Pachkov, diretor-executivo da consultoria Knight Frank de São Petersburgo. Segundo ele, o complexo já está à venda há alguns anos e o fato dele estar sendo oferecido em leilão significa que os proprietários não conseguiram encontrar um comprador de maneira independente.

"A venda de um hotel em um leilão é uma forma não convencional para implementar uma venda", concorda David Jenkins, diretor da empresa Hotels & Hospitality, que pertence à Jones Lang LaSalle. Jenkins afirma que o Taleon Imperial Hotel não é apenas um hotel localizado no centro de São Petersburgo, mas um ponto de de referência histórico. "Esses tipos de ativos são difíceis de vender em leilões como uma propriedade normal, os investidores potenciais provavelmente não estarão prontos para participar de uma batalha pública por ele” afirma.

Pelos registros da desenvolvedora GVA Sawyer, a lotação atual dos hotéis de luxo de São Petersburgo está entre 58% a 60%, e a diária custa, em média, US$ 350. Desse modo, a receita geradas pelos 120 quartos do hotel Taleon Imperial poderá chegar a US$ 8,9 milhões. 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.