Qiwi abre capital na Nasdaq com venda de US$ 212,5 milhões em ações

QIWI é a maior prestadora de serviços de pagamentos instantâneos da Rússia Foto: Divulgação

QIWI é a maior prestadora de serviços de pagamentos instantâneos da Rússia Foto: Divulgação

A empresa russa Qiwi, a maior prestadora de serviços de pagamentos instantâneos da Rússia, realizou uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) na bolsa eletrônica norte-americana Nasdaq, arrecadando US$ 212,5 milhões

Na última sexta-feira (3), a Qiwi Plc, a maior prestadora de serviços de pagamentos instantâneos da Rússia, realizou oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), na bolsa eletrônica americana Nasdaq, com a venda de 12,5 milhões de recibos de ações a US$ 17 cada.

No total, a operação levantou US$ 244,38 milhões, dos quais US$ 212,5 milhões foram para os vendedores e US$ 31,875 milhões para os bancos que assessoraram o IPO.

A faixa indicativa de preço foi definida entre US$ 16 e US$ 18 por papel. O livro de registro de pedidos de compra de ações da empresa recebeu 5,5 vezes mais subscrições.

O pregão, que começou com um atraso de 15 minutos, foi marcado por um ligeiro declínio de 0,24% no preço da ação, para US$ 16,95. No fim do pregão, porém, o preço subiu para US$ 17,05.

As ações foram vendidas pelos acionistas da empresa. A própria Qiwi não participou do processo.

Os principais vendedores foram o presidente do conselho de administração da empresa, Andrêi Romanenko, e seu pai, Nikolai. Sua empresa, a Antana International Corp., vendeu 3,23 milhões de papéis, no valor de US$ 54,4 milhões.

Já o Grupo Mail.ru, especializado em investimentos em projetos de internet, vendeu 3,01 milhões de ações, no valor de US$ 51,17 milhões, enquanto a empresa Palmway Holdings Ltd, fundada por Andrêi Muraviev (membro do conselho de administração da Qiwi) vendeu 2,17 milhões de ações, no valor de US$ 36,98 milhões.

Uma fonte próxima dos vendedores disse em entrevista ao jornal “Védomosti” que 80% dos compradores foram dos EUA, 17%, da Europa e 3%, do resto do mundo.

Ao todo, a Qiwi detém 52 milhões de papéis (40 milhões de ações Classe A - 10 votos) e 12 milhões de ações Classe B - 1 voto). Após o IPO, a empresa fica com 23% de seu capital social e 2,9% dos votos em livre circulação.

Credit Suisse, JPMorgan, Renaissance Capital, Robert W. Baird & Co, William Blair & Co foram os nomes chamados para coordenar a abertura de capital da empresa no mercado americano. Depois que os organizadores do IPO exercerem sua opção de compra de 1,8 milhões de ações da Qiwi (isso pode ser feito nos 30 dias posteriores ao IPO), a empresa terá 26,5% de seu capital social e 3,35 % dos votos em livre circulação.

"A Qiwi está entre as cinco empresas russas que realizaram um IPO no mercado americano", disse ao jornal “Védomosti” um dos fundadores da empresa, Romanenko, acrescentando que os recursos obtidos serão investidos em empresas de internet.

"Todos os acionistas tiveram suas expectativas correspondidas",  disse o membro do conselho de administração da Qiwi Andrêi Muravieov a respeito dos resultados do IPO.

Os recursos obtidos serão investidos na economia russa, completou.

Empresas russas com ações negociadas no mercado americano 

As primeiras empresas a terem suas ações negociadas no mercado americano foram a MTS (Mobile TeleSystem) e a VimpelCom. A abertura de seus capitais na Bolsa de Nova York (NYSE, na sigla em inglês) ocorreu há mais de dez anos.

Dois anos mais tarde, o exemplo foi seguido pela holding STS Média. Ao vender 16,38% de suas ações a US$ 14 por ação, a empresa levantou US$ 345,9 milhões.

A Yandex abriu capital na Nasdaq cinco anos mais tarde, movimentando US$ 1,435 bilhões. Seu IPO foi considerado recorde na Nasdaq em 2011 entre as empresas de TI.

A empresa

A Qiwi é a maior prestadora de serviços de pagamentos instantâneas da Rússia e da CEI (Comunidade de Estados Independentes, composta pelas ex-repúblicas soviéticas, menos a Geórgia e os países bálticos).

A empresa opera uma rede de 169 mil terminais, cobrando uma taxa de comissão pela transferência de pagamentos. A rede atende a mais de 40 mil estabelecimentos comerciais, que recebem mensalmente mais de 39 bilhões de rublos em espécie de 65 milhões de clientes.

Além disso, a Qiwi tem parceria com a Visa e ganha com a transferência de pagamentos nas carteiras eletrônicas (cerca de 11 milhões de contas). As operações com carteiras virtuais rendem à empresa 30% da receita, crescendo a uma taxa de 80% a cada ano, segundo informa o portal de internet Seeking Alpha. Segundo a Qiwi, em 2012, o lucro líquido da empresa aumentou 88%, para 808 milhões de rublos (US$ 27 milhões).

 

Com materiais dos Kommersant e Védomosti    

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.