Cresce número de créditos negados por bancos russos

No Banco de Crédito da Europa, foi constatado que quase um a cada dez mutuários têm mais de cinco empréstimos Foto: RIA Nóvosti

No Banco de Crédito da Europa, foi constatado que quase um a cada dez mutuários têm mais de cinco empréstimos Foto: RIA Nóvosti

Concessão de empréstimos é dificultada pelo o alto índice de endividamento da população e endurecimento da política do Banco Central para crédito pessoal.

O Departamento Nacional de Histórico de Crédito observou o aumento do número de pedidos de crédito negados aos cidadãos russos. No ano passado, foram aprovados 46% menos empréstimos do que no ano anterior.

O Banco da Rússia aponta que, no primeiro trimestre deste ano, o volume de empréstimos para pessoas físicas aumentou em 4,7%, enquanto que no mesmo período do ano passado esse aumento correspondia a 6,2%. No ano de 2012, a carteira de crédito de empréstimos pessoais do banco cresceu 39,4%, mas, de acordo com as projeções do mercado bancário, o crescimento será de apenas 20 a 25% em 2013.

Essa dinâmica é em parte determinada pela política do Banco Central destinada a reduzir o risco no setor.  “O endurecimento das exigências dos bancos comerciais em relação aos mutuários caminha em paralelo com o endurecimento das exigências do Banco Central, que está preocupado com o aumento explosivo do número de empréstimos pessoais, ao longo do no ano passado”, destaca Aleksêi Korovin, diretor do departamento de crédito pessoal do Bando da Rússia.

“Os bancos levam em conta as exigências mais rigorosas do Banco Central e, por sua vez, tendem a serem mais conservadores em relação à seleção dos mutuários”, explica Korovin.

Outra razão para a queda da porcentagem de aprovação dos pedidos de empréstimos pessoais, de acordo com os participantes do mercado, é o alto nível de endividamento da população.

Ilsur Gibadullin, vice-presidente do Banco de Crédito da Europa afirma que um número crescente de clientes que procuram empréstimos já está comprometido com outros créditos.

Os dados do Departamento Nacional de Histórico de Crédito também confirmam o aumento do endividamento da população. No final do primeiro trimestre do ano, 56,84% dos mutuários do Banco de Crédito da Europa tinham mais de um empréstimo ante os 51,1% no mesmo período de 2012. Além disso, quase um a cada dez mutuários (9,17% em 2013 e 5,94% em 2012) possuem mais de cinco empréstimos.

 

Publicado originalmente pelo Kommersant.ru

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.