Rosneft desafia Gazprom na conquista do mercado russo

Presidente da Rosneft, Ígor Sechin (à esq), anunciou aumento da produção até 2020 Foto: ITAR-TASS.

Presidente da Rosneft, Ígor Sechin (à esq), anunciou aumento da produção até 2020 Foto: ITAR-TASS.

Até 2020, Rosneft planeja aumentar produção de gás em 150% e abocanhar 20% do mercado interno.

Durante discurso no Dia do Investidor, em Londres, o presidente da petroleira Rosneft, Ígor Sechin, anunciou que a empresa planeja aumentar a produção de gás para 100 bilhões de metros cúbicos por ano até 2020. Isso permitirá à Rosneft aumentar sua participação no mercado de gás russo para 19% a 20%.

Os dados estavam presentes no folheto de apresentação da petroleira elaborado pela vice-presidente, Vlada Rudkóvskaia, que chefiou o departamento de desenvolvimento da gigante de gás russa Gazprom até o final do ano passado.

Em 2012, a Rosneft produziu 41 bilhões de metros cúbicos de gás natural, respondendo por uma fatia de 10% do mercado. No entanto, a empresa possui uma carteira de encomendas de 72 bilhões de metros cúbicos de gás, segundo informações presentes no folheto de apresentação.

Ainda de acordo com o documento, em 2016, as vendas da empresa no mercado doméstico atingirão 63 bilhões de metros cúbicos. Em 2020, 60% do gás fornecido pela Rosneft serão consumidos pelas empresas geradoras de energia, 16%, pelos consumidores do grupo Itera (a Rosneft detém 51% da empresa de petróleo e de gás Itera) e 14%, pelas empresas químicas.

Os projetos atuais darão um pouco menos da metade do volume de produção planejado, na faixa dos 47 bilhões de metros cúbicos. O restante será fornecido por projetos de exploração em novas jazidas, como Kharampurskoie, Rospan International e Sacalina-3.

Esse também parece ser um bom momento para tirar parte dos clientes da Gazprom. A empresa está com 40% dos contratos de gás no mercado interno prestes a expirar e nem todos os seus clientes estão dispostos a renová-los.

A empresa Novatek também pretende aproveitar a situação. No ano passado, a empresa já retirou da Gazprom alguns clientes, inclusive a Mosenergo, controlada pela gigante estatal. No entanto, a Novatek é menos ambiciosa do que a Rosneft. De acordo com um representante da Novatek, até 2020, a empresa pretende aumentar as vendas de gás no mercado interno para 90 bilhões de metros cúbicos ante 59,5 bilhões de metros cúbicos no ano passado.

“A Rosneft espera um aumento de 25% no consumo de gás na Rússia até 2020”, disse o analista da consultoria UBS, Maksim Mochkov. A Rosneft pode dobrar sua fatia de mercado caso a Gazprom, que detém atualmente 73% do mercado doméstico, continue perdendo posições.

“Até 2020, a participação da Gazprom no mercado interno poderá diminuir para 60% a 70%”, concorda um representante da empresa ouvido pelo “Védomosti”. Mas em números absolutos, as vendas da empresa permanecerão estáveis. “O encolhimento de sua fatia terá como causa o crescimento do mercado”, explicou o especialista. No ano passado, a Gazprom vendeu internamente 304,9 bilhões de metros cúbicos de gás.

O analista do Sberbank CIB, Váleri Nésterov, considera os planos da Rosneft um tanto otimistas. “O crescimento do mercado já começou a desacelerar: a demanda pelo gás natural ainda pode crescer no setor de energia. Mas, por mais otimistas que sejam as previsões, até 2020, o mercado interno vai consumir, no máximo, 450 a 470 bilhões de metros cúbicos por ano”,  diz Nesterov.

Enquanto isso, uma fonte da Gazprom acredita que a Rosneft não conseguirá produzir mais de 70 a 75 bilhões de metros cúbicos de gás por ano até 2020, mesmo que mobilize para o efeito a TNK-BP e a Itera.

Para Nesterov, a Rosneft aposta na jazida de Kharamurpskoe, cujas reservas de gás, porém, são consideradas de difícil acesso. “Portanto, em caso de aumento da concorrência, a Novatek tem mais chances de aumentar sua presença no mercado interno”, arremata o analista.

  

Publicado originalmente pela Védomosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.