Zonas Econômicas Especiais ganham novo impulso

Presidente da Rockwool International, Elko van Hil (esq.), e autoridades russas inauguram fábrica da empresa dinamarquesa em Alabuga Foto: RIA Nóvosti

Presidente da Rockwool International, Elko van Hil (esq.), e autoridades russas inauguram fábrica da empresa dinamarquesa em Alabuga Foto: RIA Nóvosti

Governo russo planeja melhorar imagem do país com a ajuda dos principais bancos de investimento internacionais. Desde sua criação em 2005, as ZEEs russas conseguiram atrair US$ 3,6 bilhões em investimentos estrangeiros.

As autoridades russas já assinaram um acordo com o primeiro consultor, o Goldman Sachs, que ficará responsável pelo desenvolvimento e criação de novas Zonas Econômicas Especiais (ZEEs) durante os próximos três anos.

Criadas como paraísos fiscais para atrair investidores estrangeiros, as ZEEs russas receberam 57 empresas estrangeiras de 21 países ao longo dos últimos oito anos.

Atualmente, existem 17 ZEEs na Rússia, com diferentes ritmos de crescimento. “O desenvolvimento das novas zonas depende significativamente do setor industrial e das relações com o governo local”, disse à Gazeta Russa o diretor jurídico da empresa 3M, Aleksêi Zavalev, que recebeu o estatuto de residente em Alabuga, na república do Tatarstão, em 2012.

“Tínhamos que escolher o lugar para nossas instalações de produção e tínhamos duas opções: ficar na Rússia ou escolher outro país no Leste Europeu. Optamos pelos russos e, desde 2012, trabalhamos em Alabuga”, acrescentou Zavalev.

Só no ano passado, seis empresas dos EUA começaram a investir nas ZEEs. Além da já citada fabricante de bens industriais e domésticos 3M, que injetou US$ 30 milhões, a General Motors aplicou US$ 180 milhões no país e a companhia de materiais de construção Armstrong, US$ 75,4 milhões. No total, desde 2005, as empresas norte-americanas investiram cerca de US$ 1 bilhão nas ZEEs.

O país oferece benefícios fiscais muito significativos para os residentes da ZEEs. A 3M, por exemplo, pagará apenas 2% de impostos em vez dos habituais 20%. Além disso, ao aplicar pelo menos US$ 4 milhões, o investidor não paga o imposto sobre o valor acrescentado nem as taxas de importação de equipamentos estrangeiros.

As ZEEs da Rússia são divididas em quatro tipos: industriais, turísticas, portuárias e tecnológicas. Inicialmente, apenas os projetos que “enriquecem a economia russa, produzem novas tecnologias e desenvolvem a capacidade de trabalho dos funcionários russos” tinham a oportunidade de se tornar residentes das ZEES. Porém, hoje em dia, qualquer empresa internacional pode entregar documentos ao Conselho Observador das ZEEs e participar do concurso.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.