Rússia corre para o ouro

Foto: Shutterlock / Legion Media

Foto: Shutterlock / Legion Media

Aumento da produção em 2012 tornou a Rússia o quarto maior produtor de ouro do mundo, e muitas reservas ainda continuam inexploradas.

No verão passado, um novo item foi acrescentado à coleção mundial de lingotes de ouro exclusivos. Trata-se de uma pepita de ouro em forma de coração que pesava pouco mais de um quilo, encontrada na região russa de Irkutsk. Localizada na Sibéria central, essa é quinta maior região da Rússia e a segunda maior área produtora de ouro do país. Além disso, abriga um quinto das instalações de exploração de ouro da Rússia.

Porém, se não fosse pelo formato exclusivo da pepita, a descoberta não teria chegado às manchetes. O peso do pequeno coração é apenas uma pequena fração das 250 toneladas de ouro produzidas na Rússia todos os anos.

Números


1,01 quilos

é o peso de uma pepita de ouro em forma de coração encontrada no último verão no distrito siberiano de Lena-Vitim.

4,9%

é o aumento na produção de ouro russo durante os primeiros 11 meses de 2012, em comparação com o mesmo período do ano anterior.

254 toneladas

de ouro foram produzidas na Rússia em 2012, tornando o país o quarto produtor de ouro do mundo.

A Rússia é o quarto maior produtor de ouro do mundo, atrás da China, Austrália e Estados Unidos, mas está em segundo lugar em termos de reservas confirmadas. Embora o setor seja extremamente fragmentado – mais de 600 empresas trabalham na produção de ouro na Rússia –, algumas delas têm destaque no ramo. É o caso do maior produtor aurífero do país, Polyus Gold, que é também um dos 10 maiores produtores de ouro do mundo.

De acordo com o Serviço Federal de Estatística do país (Rosstat), as empresas russas aumentaram produção de ouro em 8,3% em 2012. A Polyus Gold, por sua vez, aumentou a produção de ouro refinado em 12% e está prevendo índices ainda melhores para 2013. A empresa declarou recentemente que espera produzir 1,8 milhões de onças de ouro neste ano, em comparação às 1,68 milhões em 2012.

A maior parte do ouro russo vem da extração de recursos minerais, que subiu 6,3% em 2012 para 200 toneladas. O ouro também entra em circulação por meio da reciclagem de sucata e resíduos.

No ano passado, quase todas as áreas de produção de ouro na Rússia registraram aumento na produção. Os números foram particularmente expressivos no território de Krasnoiarsk e nas regiões de Irkutsk, Magadan e Tcheliábinsk.

Houve queda na produção no depósito Kupol, no Extremo Oriente russo, mas a agência de notícias Prime informou que a redução foi resultante de uma conhecida diminuição do teor de ouro no minério processado na região.

A produção de ouro tende a aumentar ao longo de 2013, o que poderia levar a Rússia a ultrapassar os Estados Unidos e ocupar a terceira posição no ranking dos maiores produtores de ouro do mundo em volume.

O analista do Investkafe, Andrêi Schenck, aponta que o aumento da produção foi desencadeado por uma maior produtividade nas instalações existentes, e não pelo uso de novas estruturas.

Além disso, o potencial da Rússia para a produção de ouro está longe de ser esgotado. “Alguns projetos foram implementados, enquanto outros ainda estão em fase de desenvolvimento”, afirma Schenck.

Em 2014, está agendado o início da produção no maior depósito de ouro da Rússia, Natalka da Polyus Gold. Embora o Natalka tenha sido descoberto durante a Segunda Guerra Mundial, ele ficou parado por muitos anos devido à sua localização remota na região de Magadan, no norte do Extremo Oriente russo.

Quando a produção começar no local, o Natalka irá processar 11 milhões de toneladas de minério e produzir de 16,5 a 22 toneladas de ouro por ano.

Uma mina de ouro também está em construção no depósito vizinho de Pavlik. Outras 7,3 toneladas de ouro anuais devem ser produzidas nesse local, cuja gestão está sob a empresa de investimentos em metais Arlan.

Da mina para o mercado

No entanto, a instabilidade geral do mercado, sobretudo a volatilidade do setor aurífero, impediram uma série de grandes negócios na Rússia. A fusão da Polyus Gold com a Polymetal International, por exemplo, não conseguiu ir para frente, e nenhuma mineradora ou empresa de metais realizou uma oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) em 2012. O governo também suspendeu um leilão para o Sukhoi Log, um dos maiores depósitos de ouro não desenvolvidos do país.

Ainda assim, Valentina Bogomolova, analista sênior de metais e mineração na Uralsib Capital (UBS), diz que o atual clima financeiro traz um bom presságio para a extração de ouro na Rússia.

O preço mundial do ouro tem aumentado com frequência desde 2000, e a Goldman Sachs prevê um aumento da onça de ouro dos atuais US$ 1.690 para US$ 1.825 até o segundo trimestre deste ano. Como resultado, é provável que a porcentagem de ouro mantido em reservas internacionais também aumente.

A Rússia, por sua vez, vem armazenando ouro como um escudo contra a instabilidade financeira internacional. Em 2007, o governo russo manteve 443 toneladas de ouro em suas reservas estratégicas; até o outono de 2012, o número havia aumentado para 1.028 toneladas.

Em 2012, os preços do ouro subiram 7% ao ano, mas alguns observadores dizem que esse nível de crescimento é pouco provável em 2013. Um dos principais fatores é o uso intensivo do metal para pagar o abastecimento de energia entre o Irã e a Turquia, bem como a maior demanda da Índia. O fabricantes indianos de joias estão tentando aumentar seus estoques de ouro antes que imposto de importação seja elevado este ano, segundo os analistas do UBS.

Bogomolova acredita que a demanda por ouro de fabricantes de joias russos também é passível de aumento em 2013. De acordo com a analista, embora os investidores russos não encarem o ouro puro como uma forma viável de acúmulo de capital, as pessoas tendem a encarar as joias coo um bom investimento, especialmente diante da volatilidade do dólar e do euro.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.