Rússia bate recorde de vendas de automóveis em 2012

Foto: TASS

Foto: TASS

De acordo com a EBA (Associação Europeia de Negócios, na sigla em inglês), no ano passado foram vendidos 2,9 milhões de veículos, o que supera em 11% o indicador de 2011 e é 1% maior do que em 2008.

O mercado de automóveis russo estabeleceu um novo recorde de vendas em 2012, ultrapassando os números do ano pré-crise de 2008. De acordo com a EBA (Associação Européia de Negócios, na sigla em inglês), no ano passado foram vendidos 2,9 milhões de veículos, o que supera em 11% o indicador de 2011 e é 1% maior do que em 2008.

No entanto, este ano não vale a pena aguardar um crescimento igualmente impressionante: de acordo com os participantes do mercado, as vendas de automóveis provavelmente permanecerão no mesmo nível de 2012.

"Este resultado define o novo recorde para o mercado russo", disse o Presidente da Comissão da EBA, Jörg Schreiber.

A AvtoVAZ, embora tenha se mantido em primeiro lugar em volume de vendas de carros (537,6 mil unidades), foi a única das dez primeiras que apresentou uma queda nas vendas (de 7%).

As marcas que a seguiram, Chevrolet, Renault e Kia, mostraram um crescimento de 18%, 23% e 23%, respectivamente. Perante esse quadro, um total de nove marcas superaram no ano passado a plataforma em 100 mil carros vendidos.

A maior dificuldade ficou por conta da desaceleração nas vendas em dezembro, quando foram comercializados 253,1 mil automóveis no mercado russo, o que excede em apenas 1% os números do ano anterior.

Se o mesmo Avtovaz conseguiu manter as taxas no nível de dezembro de 2011 (um pouco acima de 43 mil automóveis), as vendas da Chevrolet baixaram em 4%, para 15,82 mil carros. A Hyundai coreana e a Nissan japonesa mostraram no último mês do ano passado um declínio de 22% e 29%, respectivamente.

"O início do ano foi marcado por um boom de consumo, daí um aumento tão grande nas vendas. Ele foi motivado porque os modelos deficitários no final de 2011 tornaram-se mais uma vez disponíveis para uma ampla gama de clientes. Desde abril a situação se equilibrou e a taxa de crescimento começou a diminuir. Mais para o final do ano o crescimento ficou paralisado por completo, razão pela qual o revendedor tem acumulado uma grande quantidade de carros em seus pátios. Este fato impactou mais fortemente o segmento em massa”, disse o diretor da concessionária da Hyundai da empresa Avilon, Mikhail Zhmakov.

No final do ano, a marca estrangeira mais vendida acabou sendo o Hyundai Solaris, com um índice de 110,7 mil carros. No entanto, em dezembro, foram vendidos somente 7,2 mil automóveis desse modelo, o que permitiu ao Ford Focus reconquistar o primeiro lugar, com 9,8 mil carros vendidos.

Outro best-seller do passado, o Renault Logan, perdeu a sua posição de liderança —suas vendas em 2012 caíram em 28%, para 58,7 mil automóveis (em dezembro, caíram mais ainda, em 43%, para 3,8 mil unidades).

No final de dezembro, o Renault Logan ocupou somente o terceiro lugar, registrando vendas inferiores que as do Sandero e Duster.

Como observado por Schreiber, o ano de 2013 não será fácil para o mercado automotivo.

“Pesquisa feita com os membros da AMC informou que as estimativas estão no intervalo de mais ou menos 5% em torno do ponto médio das 2,95 milhões de vendas de carros no ano de 2013. Isso significa que o mercado permanecerá no mesmo nível que foi alcançado no ano passado”, disse ele.

De acordo a opinião de Tatiana Lukovetskaya, diretora da divisão Rolf de varejo, este ano o mercado de automóveis russo poderá tornar-se o maior da Europa, ultrapassando a Alemanha.

"O volume de vendas segundo o nosso cenário pessimista equivalerá a 3,01 milhões de veículos, ou um crescimento de 1,5% em comparação com 2012 (de acordo com o cenário otimista, o aumento será de 7,4%, com até 3,19 milhões de veículos vendidos)", informou.

"Em 2013, esperamos a estabilização do mercado, isto é, em geral, seu desempenho poderá permanecer no mesmo nível de 2012”, observou a empresa Sollers.

 

Publicado originalmente pelo RBC Daily

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.