Novo uniforme militar russo é inspirado no Lego

Uniforme militar se adaptará às mudanças de temperatura

Uniforme militar se adaptará às mudanças de temperatura

Valéri Charifulin/TASS
Até 70 itens funcionais poderão ser acoplados ao modelo básico. Expectativa é que kit de combate aperfeiçoado esteja disponível dentro de um período de 15 anos.

Os especialistas russos estão desenvolvendo um novo uniforme militar “flexível” encomendado pelo Ministério da Defesa e que será chamado “Rátnik-3” (guerreiro, em russo). Ele será apresentado até o final do ano.

“Nós decidimos usar o mesmo princípio que é usado nas construções de Lego”, explica Oleg Fáustov, construtor-chefe do Instituto Central de Ciência e Pesquisa em Engenharia de Precisão Mecânica. “O uniforme tem elementos básicos aos quais você pode adicionar outros dispositivos necessários de acordo com o tipo de tropa. Ou seja, criamos um uniforme no qual todo soldado se sentirá confortável”, acrescenta.

Segundo Fáustov, a previsão é que possam ser adicionados ao uniforme até 70 novos itens, conforme haja necessidade.

Modelo 3.0

De acordo com o diretor do Instituto, Dmítri Semizórov, o equipamento poderá ser usado dentro de aproximadamente 15 anos.

“O conjunto terá um capacete blindado com sistema de mira integrado, macacão e calçado militares, sistema de comunicação e comando, elementos à prova de balas, um complexo de rifles e lançadores de granadas, e um exoesqueleto”, afirma.

O novo equipamento é uma nova versão aperfeiçoada do kit de combate Rátnik. O modelo anterior, porém, apresenta uma série de defeitos: dezenas de elementos não se conectavam entre si e, às vezes, tornavam-se obstáculos para os outros.

Os criadores chegaram a elaborar uma segunda versão, Rátnik-2, que também não foi concluída. Segundo especialistas, porém, Rátnik-3 não terá as falhas dos antecessores.

“Cada nova geração do uniforme Rátnik pesa menos do que a anterior e conta com uma tecnologia mais moderna, além de novas funcionalidades”, diz Semizórov.

Para o novo uniforme, por exemplo, os criadores fizeram dois tipos de exoesqueletos (armadura especial que permite que você se mova mais rápido, apesar de pesar cerca de 100 kg). Ambos, que já foram aprovados, dispõem de uma interface neural bidirecional que possibilita receber sinais do corpo e reagir de maneira apropriada. Outra novidade é o sistema de reconhecimento do inimigo integrado ao capacete.

Alterações climáticas

O capacete contará com um sistema para avaliar o estado fisiológico do soldado, e o uniforme militar se adaptará às mudanças de temperatura.

“Nesses momentos, o uniforme pode suportar temperaturas entre 50ºC negativos e 50ºC positivos. Existem variantes do equipamento para verão, primavera-outono, e inverno. No futuro, criaremos um sistema que analisará o estado do soldado para aumentar ou reduzir a temperatura dentro do uniforme. Por enquanto, nos atentamos à proteção radiológica, química ou bacteriológica”, explica Fáustov.

Os primeiros modelos de uniformes dos chamados “soldados do futuro” começaram a ser desenvolvidos nos anos 1970. Na época, militares da Alemanha, China, Emirados Árabes, EUA, Filipinas, Japão e Reino Unido  já possuíam uniformes ultramodernos.

O primeiro Rátnik desenvolvido para o Exército foi aprovado em 2012.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.