Kalashnikov lança nova arma que combate drones

REX-1 em exibição no fórum técnico-militar 'Exército-2017'

REX-1 em exibição no fórum técnico-militar 'Exército-2017'

RT/youtube.com
Dispositivo eletromagnético REX-1 obstrui sinais GSM e GPS usados para comunicação com drones e pode até desativar bomba plantada por terroristas.

O Consórcio Kalashnikov, o maior fabricante de armas na Rússia, apresentou seus rifles eletromagnéticos antidrone na exposição Army-2017, na região de Moscou.

Atualmente, os protótipos da nova arma, intitulada REX-1, estão sendo submetidos a testes em subunidades da Guarda Nacional da Rússia.

“Essa arma radiomagnética obstrui os canais de comando e controle dos drones mais comuns do mundo. Também foram instaladas nela várias unidades eletromagnéticas e infravermelhas intercambiáveis ​​que bloqueiam os sinais GSM, GPS, Glonass, Galileo [os últimos três são sistemas de navegação por satélite] e outros canais”, disse à Gazeta Russa Nikita Khamitov, chefe do departamento de projetos especiais do grupo Zala Aero, que desenvolveu a arma e faz parte do Consórcio Kalashnikov.

De acordo com Khamitov, é possível mudar os componentes da arma em segundos, assim como se troca o carregador em um fuzil de assalto.

Além disso, a arma é capaz de operar continuamente por quatro horas. “Ela pode então ser recarregada por quatro horas usando uma tomada comum de 220 volts, ou conectada a uma bateria adicional para uso ininterrupto”, disse o especialista.

Os drones têm geralmente dois modos padrão no caso de perda de comunicação com a base: retornam ao ponto de partida, ou aterrissam automaticamente. “No último caso, o drone vai desaparecer dos radares inimigos, e teremos um novo brinquedo em mãos”, acrescentou Khamitov.

Combate a terroristas

Segundo o especialista, uma característica particular do dispositivo é a possibilidade de não apenas neutralizar veículos aéreos não tripulados, mas também dispositivos explosivos detonados por controle remoto – via chamada telefônica ou mensagem de texto, como se vê nos filmes. “A arma desliga todos os sinais externos e dá ao grupo de engenharia de combate tempo para chegar ao local e eliminar a ameaça”, explicou.

O REX-1 conta ainda com um recurso que poderá (ou não) ser útil no campo de batalha. Ao entrar em operação, ele desliga todos os sinais Wi-Fi e 3G em um raio de um quilômetro de seu feixe eletromagnético.

Uso civil entre os planos

Planeja-se ainda projetar uma versão da arma para uso no mercado civil. No entanto, nesse caso, nem todas as suas funções estarão disponíveis – entre as possíveis características excluídas estaria, por exemplo, o dispositivo de neutralização de GPS.

O preço da arma, porém, só será determinado quando as subunidades do Serviço de Tropas da Guarda Nacional russa definirem a quantidade de equipamentos adquiridos. “Mas, analisando o mercado, acredito que a versão civil do nosso sistema poderá custar cerca de 5 mil dólares.”

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.