Rússia, China e CEI batalham por medalhas nos Jogos de Guerra

Biathlon de tanques é uma das categorias que mais chamam a atenção dos espectadores

Biathlon de tanques é uma das categorias que mais chamam a atenção dos espectadores

Serguêi Bobilev/TASS
Pelo terceiro ano consecutivo, competição pacífica é realizada em 2017 em quatro países simultaneamente.

Foto: Serguêi Bobilev/TASSFoto: Serguêi Bobilev/TASS

Quem não ama um cheirinho de pólvora e diesel ao nascer do sol? Soldados dos 28 países participantes da terceira edição dos Jogos Militares certamente sim, e neste ano eles participam da competição em quatro países simultaneamente: Rússia, China, Cazaquistão e Bielorrússia.  

Foto: Alexey Malgavko/RIA NovostiFoto: Alexey Malgavko/RIA Novosti

Os “campos de batalha” em estilo olímpico acabaram no último sábado (12).

Foto: Iúri Smitiuk/TASSFoto: Iúri Smitiuk/TASS

Tropas dos países da CEI, da África e da China mostraram suas habilidades na água, no ar e em terra. 

Foto: APFoto: AP

Como sempre, o biathlon de tanques foi a categorias mais falada.

Foto: Iúri Smitiuk/TASSFoto: Iúri Smitiuk/TASS

Ela não é muito diferente do ski biathlon, quando os competidores atravessam montanhas e atiram em alvos com rifles, mas envolve ainda tanques e canhões enormes apontando para tudo, de caminhões a helicópteros – não tripulados, claro.

Foto: ReutersFoto: Reuters

Todos os times usaram tanques de batalha russos T-72B3, exceto pelo Chinês, que trouxe seu último tanque Type 96ª pelo segundo ano consecutivo.

Foto: APFoto: AP

A disputa na aviação também ganhou repercussão. As equipes de pilotos de diversas nações pilotaram jatos de combate cheios de bombas e destruíram os “inimigos” escondidos nos campos.

Foto: Serguêi Orlov/TASSFoto: Serguêi Orlov/TASS

Neste ano, a competição ocorreu na China, enquanto os países mobilizaram suas unidades de infantaria para testar suas habilidades combatendo em solo durante o “Assalto Suvorov”. 

Foto: Aleksandr Kryajev/RIA NôvostiFoto: Aleksandr Kryajev/RIA Nôvosti

Um representante oficial do Ministério da Defesa russo disse à Gazeta Russa que este evento, particularmente, é considerado o mais difícil, já que não é apenas sobre as habilidades de pontaria dos soldados, mas também de travessia de territórios.

Foto: Serguêi Bobilev/TASSFoto: Serguêi Bobilev/TASS

“Esses homens estavam completamente equipados e carregavam pesos de 20 quilos nas costas. Com tudo isso, eles tinham que percorrer 10 quilômetros em quaisquer condições climáticas que se apresentassem: por chuvas ou por um sol escaldante”, disse. 

Foto: ReutersFoto: Reuters

Mas eles não foram os únicos a ficar de cara com a natureza. O mar é impiedoso, e os mergulhadores militares sabem bem disso.

Foto: ReutersFoto: Reuters

Durante o torneio “Profundidade”, esses mergulahdores tiveram que salvar diversos homens “se afogando”. E o fizeram com sucesso.  

Foto: ReutersFoto: Reuters

Neste ano, o Ministério da Defesa da Rússia saiu orgulhoso da competição, com o quadro de medalhas de ouro mais cheio dentre todos os países. A China conseguiu o segundo prêmio, e o Cazaquistão, o terceiro.

Foto: ReutersFoto: Reuters

A cada ano aumenta o número de participantes dos jogos, e o Ministério da Defesa da Rússia também convidou a Otan a entrar, apesar da aliança recusar neste ano.

Foto: ReutersFoto: Reuters

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.