Rússia começa a desenvolver caça de sexta geração

Foto meramente ilustrativa; os detalhes sobre o visual do novo caça ainda são desconhecidos

Foto meramente ilustrativa; os detalhes sobre o visual do novo caça ainda são desconhecidos

Alexander Yartsev ABiator
Aeronaves serão equipadas com armas laser, mísseis hipersônicos e drones.

Em 2018, as Forças Aeroespaciais russas receberão os primeiros caças de quinta geração do tipo Su-57 (projeto PAK FA). Enquanto isso, engenheiros russos já estão desenvolvendo os aviões da sexta geração do modelo, declarou o vice-diretor-geral adjunto do consórcio CRT, Vladímir Mikheev, em uma entrevista ao canal de televisão russo Zvezda.

Segundo ele, o primeiro modelo do avião de sexta geração será mostrado ao público até 2030. Mikheev se recusou a revelar detalhes da nova aeronave e apenas disse que o caça terá fuselagem com tecnologia Stealth, motores que permitem realizar voos supersônicos e hipersônicos e equipamentos superinteligentes.

Guerra do futuro

De acordo com o vice-diretor do consórcio KRET, Guivi Djandjga, os novos aviões serão capazes não apenas de voar a velocidades hipersônicas de forma autônoma, mas também utilizar meios de guerra eletrônicos. Eles terão ainda uma espécie de armadura que localiza alvos e dispara mísseis com bombas de alta precisão.

Além disso, os aviões de sexta geração serão controlados remotamente e poderão realizar voos em grupo, compartilhando as informações de reconhecimento e de combate com forças espaciais e terrestres.

Segundo Djandjga, trata-se de um gerenciamento centralizado de rede, que é considerado uma das características mais importantes dos caças de sexta geração.

"É dificil melhorar significativamente o potencial físico dos aviões modernos. No futuro, a maior parte do trabalho será dedicada à modernização do “cérebro” dos aviões”, disse ele.

Djandjga também informou que o caça de quinta geração Su-57 recebeu o novo radar AESA, que já permite realizar um gerenciamento centralizado de rede e pode ser considerado como protótipo dos sistemas de sexta geração.

O novo radar permite escanear o espaço e escolher alvos e funciona como uma arma radioeletrônica ou como um “escudo invisível" do avião.

Além das armas eletrônicas, os caças de sexta geração também receberão armamentos tradicionais. Segundo Mikheev, os aviões terão mísseis de longo alcance supersônicas capazes de atingir alvos terrestres, navais e aéreos.

Esses mísseis funcionarão segundo o princípio de "caça livre e responsabilidade coletiva". Isso significa que os novos mísseis terão uma inteligência artificial capaz de selecionar independentemente alvos primários e secundários e destruí-los de acordo com as suas prioridades.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.